Açores: 522 mil euros para reforço do abastecimento de água à agricultura no Pico

O secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou que o investimento de 522 mil euros que o Governo dos Açores aplicou na obra do furo de captação de água do Cabeço Pequeno e ligação à rede existente, na ilha do Pico, insere-se na estratégia regional de reforço do abastecimento à agricultura.

“Trata-se de um investimento ao serviço do sector agrícola e um investimento que irá potenciar o desenvolvimento do sector, capacitando-o para os desafios que, naturalmente, temos ainda que vencer”, frisou João Ponte.

O governante falava terça-feira, no segundo dia da visita estatutária do Governo ao Pico, na inauguração da obra daquele furo de captação de água, levada a cabo pela IROA, que beneficia 110 explorações e uma área de 1.100 hectares.

Desafios na Ilha do Pico

Para João Ponte, os desafios na Ilha do Pico são ainda maiores devido à orografia, à qualidade dos solos e à dificuldade em ter acesso à água, mas o desempenho dos agricultores, o apoio às organizações de produtores e ao investimento e as políticas públicas do Governo Regional têm possibilitado vencer os desafios a favor do desenvolvimento do Pico e da Região.

O secretário Regional destacou que a satisfação do Governo dos Açores em proceder a esta inauguração reside também no facto desta obra representar uma melhoria das condições de trabalho dos agricultores, da eficiência das explorações e do aumento da competitividade do sector, bem como do rendimento e da capacitação do setor para o futuro, garantindo sustentabilidade.

Esforço dos agricultores

“Também é relevante destacar o esforço que os agricultores têm feito neste domínio, sendo que, só no âmbito do actual Quadro Comunitário de Apoio, já foram aprovados quase sete dezenas de projectos, com um investimento superior a dois milhões de euros ao nível da capacidade de reforço de armazenamento de água nas explorações agrícolas e isso é fundamental na poupança e boa gestão dos recursos, mas também ao nível da redução de custos das explorações”, afirmou João Ponte.

Relativamente à boa execução dos fundos comunitários, fundamental para a melhoria da eficiência das explorações agrícolas, o governante frisou que, no âmbito do PRORURAL+, já foram aprovados 120 projectos de modernização, com um investimento de 9,1 milhões de euros, e 32 projectos de primeira instalação, com um investimento superior a 1,5 milhões de euros, indicadores que transmitem confiança do sector.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar .

Anterior Plano para evitar fogos em Pedrógão violava lei e calculava mal o risco
Próximo Universidade de Évora abre nova licenciatura em Enologia

Artigos relacionados

Últimas

Governo tem incentivo de 320 M€ para criação de centrais de biomassa

A Comissão Europeia aprovou esta semana um apoio de cerca de 320 milhões de euros que será aplicado na construção de centrais de biomassa em Portugal. […]

Últimas

“Temos uma parceria estratégica segura para enfrentar todos os imponderáveis”

Marcelo Rebelo de Sousa falava numa conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo angolano, João Lourenço, com quem se reuniu, […]

Últimas

O governo da “desprotecção” civil: como é possível?

1. É absolutamente incompreensível que o Governo português não tenha aderido ao “novo” Mecanismo de Protecção Civil da União. Foi com surpresa, […]