350 produtores de leite e carne reunidos para conhecer as novas tecnologias de  plantação de milho e de redução de impacto ambiental da Corteva Agriscience TM

350 produtores de leite e carne reunidos para conhecer as novas tecnologias de plantação de milho e de redução de impacto ambiental da Corteva Agriscience TM

A marca de sementes da Corteva Agriscience TM – Pioneer Hi-Bred – reuniu a semana passada 350 produtores de leite e carne num campo de demonstração em Vila do Conde para lhes dar a conhecer as mais recentes tecnologias e soluções de cultivo para a próxima temporada.

Num campo de plantação de 400 metros em cuja frente foram plantados os híbridos de milho Pioneer mais adequados para a área, os agricultores conheceram e presenciaram os mais desenvolvimentos importantes para a estação, tais como os novos híbridos de milho BMR, com baixo teor de lignina, que favorecem um melhor uso da forragem pelo gado.

Outra inovação apresentada no Forum do Milho e Alimentação Animal 2019 aos profissionais do sector foi a nova família de inoculantes bacterianos, Rapid React, que permite a abertura do silo e a alimentação do gado em apenas 7 dias após a colheita, em comparação com os 60 dias usuais no mercado. Estas tecnologias permitem uma gestão ideal da área de cultivo, o que se traduz numa importante redução do seu impacto ambiental.

Francesc Tribó, Category Manager de milho da Pioneer Hi-Bred Ibérica, destaca que “este novo milho oferece vantagens importantes, permitindo uma melhor gestão dos campos de cultivo e aumentando a sua lucratividade”.

Além disso, estes novos inoculantes, desenvolvidos com base em cepas bacterianas aprimoradas exclusivas, obtêm menos deterioração das forragens conservadas e permitem um melhor uso delas, o que resulta num manuseamento mais eficiente do solo para cultivo.

O novo milho BMR (Brown midrib) surgiu por aperfeiçoamento convencional em 1924 através de uma mutação espontânea. Nas décadas de 30 a 40, o seu menor conteúdo de lignina foi observado e foram identificadas quatro mutações diferentes. Em 1990, o primeiro híbrido de BMR entrou no mercado dos EUA e, finalmente, em 2011, teve inicio um programa de melhoria pela Europa, cujo resultado é o primeiro híbrido comercial da próxima campanha de 2020.

Por outro lado, o menor teor de lignina desses híbridos torna sua fibra mais facilmente digerível, aumenta a ingestão de alimentos pelo gado e, como resultado, aumenta a produção de leite por cabeça.

Raquel Cortesão, Responsável pela Nutrição Animal da Pioneer Hi-Bred destaca por isso que “a grande revolução que chega ao mercado com estes novos inoculantes é que permitem oferecer ao gado uma maior quantidade de alimentos e de melhor qualidade de forma contínua”.

Víctor Hernández, diretor de operações da Corteva Agriscience TM em Portugal conclui que “os agricultores e pecuaristas portugueses finalmente têm o melhor pacote de produtos e serviços do mercado, resultado de quase um século de experiência na agricultura. Sementes, proteção de cultivos e serviços digitais são os três pilares do sucesso”.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior ICNF pede ajuda aos caçadores no Plano de Recuperação da Rola-comum
Próximo Incêndios. Alerta vermelho termina esta terça-feira às 23h59 devido à descida das temperatura

Artigos relacionados

Nacional

Comité de Agricultura do Parlamento Europeu aprova medidas de reforma da PAC

O Comité de Agricultura do Parlamento Europeu aprovou esta terça-feira (2 de abril) um conjunto de medidas que têm como objetivo reformar e modernizar a Política Agrícola Comum (PAC). […]

Últimas

Agricultores do Mondego exigem conclusão da obra hidroagrícola em cinco anos

A Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra (Adaco) exigiu, hoje, a conclusão no prazo de cinco anos da obra hidroagrícola do Baixo Mondego, […]

Nacional

Capoulas: zonas de caça são responsáveis pelos prejuízos provocados pelos javalis nos terrenos vizinhos

O Gabinete do ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, diz que está a acompanhar a evolução da população de javalis, mas esclarece a quem devem os agricultores pedir responsabilidades. […]