173 mil euros para valorização do Parque Natural do Tejo Internacional

173 mil euros para valorização do Parque Natural do Tejo Internacional

O Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente e da Ação Climática irá apoiar, em cerca de 173 mil euros, cinco projetos (com conclusão até 2021) considerados essenciais na valorização do Parque Natural do Tejo Internacional (PNTI).

A Quercus – Associação Nacional para a Conservação da Natureza será responsável por três projetos – «Compatibilização da gestão cinegética com a conservação da natureza no PNTI», «Investigação e monitorização de avifauna no PNTI» e «Plano de sensibilização ambiental para a população local no PNTI» – financiados em 97.500 euros.

O projeto «Criação do Roteiro Estratégico de Desenvolvimento Turístico no PNTI», no valor de 61.500 euros, será executado pelo Instituto Politécnico de Castelo Branco.

A Associação Empresarial da Beira Baixa, responsável pelo projeto «Capacitação e envolvimento dos atores chave – Comunicação, criação e promoção de identidade do PNTI», beneficiará de 14.206 euros.

Este projetos integram o Plano de Valorização 2018-2022, elaborado no âmbito do Projeto Piloto para a Gestão Colaborativa do PNTI, objeto de um Protocolo de Colaboração entre sete subscritores: o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), os Municípios de Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão, o Instituto Politécnico de Castelo Branco, a Associação Empresarial da Beira Baixa e a Quercus – Associação Nacional para a Conservação da Natureza.

Recorde-se que este Projeto Piloto foi uma iniciativa do Ministério do Ambiente e da Transição Energética que esteve na base da conceção do modelo de cogestão de áreas protegidas, definido pelo Decreto-Lei n.º 116/2019, de 21 de agosto.

Comente este artigo
Anterior Ministério da Agricultura admite possibilidade de alagar prazo para limpeza de terrenos
Próximo PAN quer medidas de combate à plantação intensiva de abacateiros no Algarve

Artigos relacionados

Notícias florestas

Novo modelo de gestão da Mata do Buçaco vai incluir tutelas da Economia e Cultura

O secretário de Estado das Florestas reconheceu hoje que o modelo de gestão da Mata Nacional do Buçaco “não funciona” e que o novo modelo, a fechar em janeiro, terá também representação das tutelas da Economia e Cultura. […]

Nacional

Perda de bosques na UE compromete luta contra alterações climáticas – Estudo

O estudo, desenvolvido pelo Centro de Investigações Conjuntas da Comissão Europeia (CE), analisa dados recolhidos por satélite e recorda que grande parte da extensão florestal da União Europeia (UE), […]

Opinião

A reforma da PAC e o atraso do orçamento UE (2021-2027) – Gonçalo Almeida Simões

Esta na altura de nos perguntarmos se o preocupante atraso das negociações do orçamento europeu (MFF 2021-2027) é apenas fogo de artificio diplomático […]