Xylella fastidiosa. Um ano após a detecção Portugal tem 60 zonas infectadas

Xylella fastidiosa. Um ano após a detecção Portugal tem 60 zonas infectadas

A Xylella fastidiosa foi detectada pela primeira vez no território nacional a 3 de Janeiro de 2019 em Vila Nova de Gaia, em plantas ornamentais, como a lavanda. Existem actualmente 60 zonas infectadas (ZI) onde foram recolhidas 3.535 amostras e já destruídas 11.130 plantas das diferentes espécies hospedeiras da bactéria.

Em causa uma bactéria que pode estar associada a 58 espécies/géneros de plantas, entre eles, a amendoeira, a cerejeira, a ameixeira, a oliveira, o sobreiro, a figueira, bem como plantas ornamentais e da flora espontânea.

O ponto de situação na zona demarcada de Xylella fastidiosa, um ano após a detecção do organismo em Portugal, foi realizado no passado dia 6 de Fevereiro, nas instalações da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Norte (DRAP Norte), no Porto. Segundo fonte institucional do ICNF — Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, tratou-se de uma reunião de balanço relativa à implementação das acções e medidas de protecção fitossanitária na zona demarcada (ZD) de Xylella fastidiosa, estabelecida na sequência da detecção desta bactéria em Portugal.

Estiveram presentes a Adjunta do Secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Susana Pombo, a Directora Regional da DRAP Norte, Carla Alves, a sub-directora-geral da DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária, Ana Paula Carvalho, bem como outras entidades envolvidas nas acções de prospecção, controlo e erradicação deste organismo de quarentena, nomeadamente o ICNF, a DRAP Norte, a Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAP Centro), os vários municípios, agora abrangidos pela área demarcada e a PSP, GNR e ASAE — Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, também envolvidas nas acções de fiscalização.

Plano de situação

Esta reunião realizou-se na sequência das anteriores e coordenadas pela DGAV, enquanto autoridade fitossanitária nacional, sendo de relevar os seguintes pontos da ordem de trabalhos: actualização da informação respeitante à evolução da Zona Demarcada (ZD); apresentação do ponto de situação das prospecções e destruições realizadas pelas várias entidades; sensibilização para a intensificação do controlo do movimento de plantas para fora da ZD; e definição de mecanismos expeditos de notificação para a realização de cortes nas zonas infectadas.

60 zonas infectadas

Existem actualmente 60 zonas infectadas (ZI) onde foram recolhidas 3.535 amostras e já destruídas 11.130 plantas das diferentes espécies hospedeiras da bactéria.

Das acções realizadas em 2019 referentes à prospecção efectuada pelas várias entidades referiu-se também, a prospecção de 2.558 quadrículas da zona tampão 1 (ZT1), 217 quadrículas da zona tampão 2 (ZT2) e recolhidas 2 961 amostras, numa área territorial que abrange cerca de 66 mil ha.

ICNF em acção

No que diz respeito à actuação do ICNF, foi realizada a prospecção em 39 ZI (344 ha) nas quais foram recolhidas 980 amostras, prospectadas 2405 quadrículas da ZT1, 125 quadrículas da ZT2 e recolhidas 1 409 amostras, representando uma área territorial de intervenção que ocupa cerca de 27.500 ha atingindo-se uma taxa de execução de 100% (ZI), 98% (ZT1) e 99% (ZT2), dados à data de 31 de Dezembro de 2019.

O trabalho desenvolvido por equipas de vigilantes da natureza da DRCNF Norte, envolveu 8 equipas distintas, num total de 3.759 horas e cerca de 50.000Km percorridos, destinados à prospecção deste organismo, no decorrer do ano 2019.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior UPL desenvolveu o Vacciplant®, um produto à base de Laminarina, indutor das autodefesas das plantas
Próximo Parlamento Europeu unânime em rejeitar proposta para orçamento plurianual da UE

Artigos relacionados

Últimas

Falta um mês para Mercadona abrir em Portugal

Três anos depois do anúncio do projecto de internacionalização da Mercadona em Portugal, a empresa entra em contagem decrescente para a abertura do primeiro supermercado no País, […]

Nacional

Os três pecados originais da Lactogal – Carlos Neves

A Lactogal é uma empresa de lacticínios que pertence a duas uniões de cooperativas e uma cooperativa. Herdou das suas 3 fundadoras e atuais acionistas a parte industrial e comercial, ficando as cooperativas com a recolha e apoio técnico à produção. […]

Últimas

Direção da PORTUGAL INSECT

“Estamos solidamente convictos de que os insetos vieram para ficar quer na alimentação humana quer na animal”
A Associação Portuguesa de Produtores e Transformadores de Insetos – PORTUGAL INSECT – surge quando os três fundadores (Entogreen, […]