Vitacress assina pacto relativo a boas práticas laborais

Vitacress assina pacto relativo a boas práticas laborais

Com o objectivo de «promover um maior equilíbrio entre a vida profissional, pessoal e familiar dos trabalhadores e melhorar o índice de bem-estar (no indicador “Balanço vida-trabalho”)», o Governo criou recentemente o programa “3 em Linha”. Integrado neste programa está o “Pacto para a conciliação”, que foi assinado ontem, 6 de Fevereiro, por 52 organizações, entre as quais figura a Vitacress, empresa nacional detida pelo grupo RAR.

Os 52 signatários consistem em 22 serviços e organismos da administração pública central e empresas públicas, 14 câmaras municipais e 16 empresas privadas. O “Pacto para a conciliação” envolve o desenvolvimento de um projecto-piloto e os signatários «comprometem-se com várias medidas de práticas laborais (como os horários adaptados a ginástica laboral ou o teletrabalho) e sistemas de apoios a pessoas e familiares (formação ou incentivos à partilha de licenças parentais)» indica um comunicado da Vitacress.

Com o programa “3 em Linha”, pretende-se «garantir uma efectiva igualdade entre homens e mulheres, de forma a diminuir o absentismo, aumentar a produtividade e a retenção de talento e contribuir para a sustentabilidade demográfica», explica o comunicado. Para este efeito, «em quatro eixos diferentes, são propostas diversas medidas – transversais e sectoriais – de impacto a curto, médio e longo prazo, num esforço conjunto do Governo e de várias entidades públicas e privadas».

Segundo o comunicado, «a actuação da Vitacress tem sido pautada pela melhoria contínua das suas boas práticas, em que se evidenciam as mais-valias que oferece aos seus trabalhadores no que toca à flexibilidade no horário de trabalho, à disponibilização de um médico duas vezes por semana, à promoção da actividade física ou o pagamento das actividades de tempos livres nas férias escolares dos filhos». O comunicado refere ainda que esta empresa «foi distinguida, em 2017 e 2018, com uma das 100 melhores empresas para trabalhar em Portugal, segundo o índice da revista Exame».

Notícias relacionadas

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Criação de empresas em Portugal aumenta quase 20% e insolvências sobem 7%
Próximo APREN: Produção eólica em Portugal volta a atingir recordes

Artigos relacionados

Últimas

Quercus preocupada com incumprimento do Programa de Acção Nacional de Combate à Desertificação

A Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza mostra “muita preocupação pela falta de cuidado dado ao Plano da Acção Nacional de Combate à […]

Notícias florestas

Melhores planos municipais, mudanças na lei e maior conhecimento. As recomendações do Tribunal de Contas para melhor defender a floresta

O Tribunal de Contas defendeu hoje que o Governo deve avançar com medidas administrativas para aumentar a qualidade dos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI), […]

Sugeridas

Produtores obrigados a “deitar ao lixo toneladas” de flores e plantas. “É uma quebra quase de 100 %”

Os produtores portugueses de flores e plantas alertaram hoje que estão a “deitar ao lixo toneladas de plantas” devido à “estagnação quase total das […]