Vinho Verde prepara a rentrée pós-confinamento com nova campanha porque é preciso “brindar ao regresso da cor da esperança”

Vinho Verde prepara a rentrée pós-confinamento com nova campanha porque é preciso “brindar ao regresso da cor da esperança”

Região investe 300 mil euros numa campanha “focada na liberdade, felicidade, reencontro e família”

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) está a lançar uma nova campanha de comunicação direccionada para o mercado nacional. Com um investimento de 300 mil euros, a região quer dizer ao país que “há um verde para cada momento”.

“Portugal e os Portugueses mostraram o seu melhor durante a fase mais crítica destes tempos extraordinários. É chegado o momento de brindar com um Verde a um regresso da cor da esperança”, justifica Manuel Pinheiro, presidente da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, onde os viticultores viveram “um ano de ouro” em 2019, com as exportações a somarem 65,7 milhões de euros, mais 4,28% do que no exercício anterior.

Agora, na hora de relançar o ataque comercial do sector, a CVRVV começa por se voltar para o mercado nacional e lança o mote de “uma campanha focada na liberdade, felicidade, reencontro e família como valores fundamentais para um desconfinamento que dá maior expressão aos produtos nacionais com uma pergunta: o que combina com o verde?”

E se “Há um Verde para cada momento”, a mensagem passa nas redes sociais, na imprensa, na televisão e nos canais online procurando potenciar vendas e incentivar visitas à Rota dos Vinhos Verdes.

O plano de ação passa também por regressar aos contactos personalizados junto de profissionais e consumidores, readaptando o plano de promoção que tinha sido desenhado para este ano.

Neste longo confinamento estivemos a trabalhar no sentido de ajustar a marca à nova realidade, tanto a nível nacional como internacional, cumprindo com as regras de contenção e distanciamento social que estes tempos nos impõem. Eventos como festivais de Vinho Verde agendados para Berlim ou Nova Iorque, ou ações para promoção de negócios entre produtores e compradores internacionais, ficaram suspensos até que se reúnam as condições de segurança necessárias à sua execução. Mas outras ações personalizadas, junto de profissionais e consumidores, estão a ser trabalhadas. Por isso é tempo de fazer chegar a mensagem de liberdade e esperança que o Vinho Verde pode transmitir”, explica Carla Cunha, directora de marketing da CVRVV.

Para Manuel Pinheiro, presidente da CVRVV, “é preciso continuar também a comunicar a diversidade de vinhos que a região dos vinhos verdes produz e a levá-los à mesa das famílias em Portugal e no mundo”. “Todos ambicionamos mais liberdade, todos desejamos conviver mais e estes são os valores que os vinhos verdes representam”, acrescente o presidente da CVRVV.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior CTT, Dott e CIM Viseu Dão Lafões lançam mercado online de produtos regionais
Próximo Agora, já podemos falar do papel do Estado nas florestas? - Paulo Pimenta de Castro

Artigos relacionados

Notícias mercados

2016: a agricultura em Portugal em 10 gráficos

[Fonte: Jornal de Negócios]
A produção agrícola foi afectada em 2015/2016 por condições climatéricas adversas, observando-se quebras no azeite, […]

Nacional

Sacos de plástico ultraleves para hortofrutícolas proibidos no comércio em 2023

As legislações que proíbem a distribuição de sacos de plástico ultraleves e cuvetes de plástico para pão, frutas e legumes no comércio e a venda de louça descartável em plástico foram esta segunda-feira (2 de setembro)  […]

Nacional

Feira de Famalicão atrai centenas à procura das “coisinhas” que a terra dá

A generalidade dos municípios decidiu suspender as feiras, mas em Famalicão, no distrito de Braga, a decisão passou por “reinventar” o […]