Vinho verde desconfina com investimento de 300 mil em promoção

Vinho verde desconfina com investimento de 300 mil em promoção

Suspensas as feiras e as festas de Berlim a Nova Iorque, a Comissão dos Vinhos Verdes readaptou o plano de promoção para 2020, entrando nas páginas dos jornais, nos supermercados e no enoturismo da região.

A Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) está a lançar uma nova campanha de comunicação direcionada para o mercado nacional e adaptada ao período de desconfinamento que o país atravessa, num investimento de 300 mil euros.

Com o mote “O que combina com Verde?”, esta iniciativa pretende criar “um vínculo emocional positivo com os consumidores”, chegando a eles através das redes sociais, da imprensa e das televisões e também de meios exteriores, como mupis e outdoors instalados pelo país.

Em paralelo, a comissão liderada por Manuel Pinheiro (na foto) e sediada no Porto vai arrancar em breve com ações promocionais nos espaços da grande distribuição com o objetivo de potenciar as vendas e também vai organizar um programa de incentivo para visitas à Rota dos Vinhos Verdes durante o período de férias em território nacional.

Em 2019, as exportações de vinho verde aumentaram 4% face ao ano anterior, totalizando 65,7 milhões de euros e vendas em 111 países, como EUA, Alemanha e Brasil a encabeçarem a lista de melhores destinos. O preço médio por litro atingiu 2,39 euros, 2,35% acima do registado no período homólogo.

A diretora da marketing, Carla Cunha, explica que a readaptação do plano de promoção para 2020 fez avançar ações personalizadas junto de profissionais e de consumidores, já que foram suspensos os festivais anuais em Nova Iorque ou Berlim e também as habituais feiras internacionais e visitas de compradores estrangeiros.

“Neste longo confinamento, estivemos a trabalhar no sentido de ajustar a marca à nova realidade, tanto a nível nacional como internacional, cumprindo com as regras de contenção e distanciamento social que estes tempos impõem”, acrescenta a gestora, citada numa nota de imprensa que reforça a aposta na diversidade de estilos dos vinhos verdes.

Em março, a região vitivinícola contratou um novo seguro de colheitas para cobrir a produção de 15 mil agricultores, que prevê uma indemnização 76% superior à da última apólice, garantindo 30 cêntimos por cada quilo de uva perdido em caso de acidente climatérico, como queda de raio, escaldão, geada, granizo, queda de neve, tornado ou tromba de água.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior Marcelo Rebelo de Sousa já recebeu cerejas do Fundão
Próximo CTT, Dott e CIM Viseu Dão Lafões lançam mercado online de produtos regionais

Artigos relacionados

Candidaturas e pagamentos

IFAP: Pagamentos maio 2020

Durante o mês de maio de 2020, o IFAP procedeu a pagamentos* num montante total de cerca de 48,8 milhões de euros, dos quais se destacam os […]

Nacional

Syngenta celebra 10 anos de Operation Pollinator

No dia 13 de junho de 2019, pelas 14:30h, a Sala Ribatejo do Centro Nacional de Exposições em Santarém irá acolher o evento corporativo “Biodiversidade e Agricultura, […]

Sugeridas

O regadio é estratégico para a economia portuguesa – José Núncio

No cenário de alterações climáticas, cujos efeitos são já visíveis com períodos de seca cada vez mais frequentes, a agricultura de regadio […]