Vinhais tem meio milhão de euros para investir no fumeiro

Vinhais tem meio milhão de euros para investir no fumeiro

O fumeiro é dos produtos com maior peso económico em Vinhais, concelho do distrito de Bragança. Enchidos tradicionais movimentam cerca de seis milhões de euros por ano nesta região.

Há mais de meio milhão de euros em fundos comunitários para apoiar a indústria do fumeiro em Vinhais.Pixabay

O município de Vinhais tem disponíveis mais de meio milhão de euros de fundos comunitários para dinamizar e apoiar novos projetos empresariais no setor do fumeiro.

O fumeiro é dos produtos com maior peso económico neste concelho do distrito de Bragança, que fez dos enchidos tradicionais uma fileira que movimenta cerca de seis milhões de euros por ano.

A Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara (ANCSUB) é a responsável por esta fileira e “conseguiu a aprovação de um projeto, no âmbito do Programa Operacional Regional do Norte 2020, num montante de financiamento de 534.699 euros.

Com o projeto “Apoio ao Empreendedorismo do Setor Agroalimentar em Terras de Trás-os-Montes” pretende-se fomentar o espírito empresarial na região, mais concretamente no que diz respeito à produção de fumeiro de Vinhais com Indicação Geográfica Protegida (IGP).

[embedded content]

O projeto, que é uma aposta da ANCSUB com o apoio da Câmara Municipal de Vinhais, “permitirá concretizar uma estratégia de valorização dos produtos agroalimentares de Vinhais, em especial do fumeiro, através do apoio às empresas do setor agroalimentar e criação de novas empresas”.

A aposta passa também pela “inovação dos produtos endógenos, da qualificação dos empresários do setor agroalimentar e do aumento da comercialização e exportação de produtos e da dinamização e promoção do turismo gastronómico”, segundo informação divulgada pela autarquia local.

“A aposta passa pela inovação dos produtos endógenos, da qualificação dos empresários do setor agroalimentar e do aumento da comercialização e exportação de produtos e da dinamização e promoção do turismo gastronómico.”

Câmara Municipal de Vinhais

A secretária técnica da ANCSUB, Carla Alves, salienta que “a aprovação deste projeto reveste-se de uma grande importância para um concelho, onde a produção de fumeiro continua a ser um dos importantes setores económicos”.

“Vinhais é um território rural, onde a agricultura é o suporte socioeconómico da população e a produção de fumeiro tem de continuar e ser encarada como uma alternativa de criação da própria empresa e do próprio emprego”, defendeu.

O projeto, segundo dos promotores, arranca ainda este ano e prolonga-se até 2019.

Há mais de 30 anos que os enchidos de Vinhais ganharam estatuto além das fronteiras da região e atraem apreciadores de todo o país, sobretudo na tradicional feira anual. Todos os enchidos de Vinhais têm certificado de qualidade e atingem preços de 40 euros o quilograma, no caso do salpicão, e já conquistaram o mercado nacional e o da exportação.

O fumeiro é o pilar da economia local, com 310 postos de trabalho diretos num concelho onde 3.000 pessoas vivem apenas da agricultura. A fileira dos enchidos movimenta o concelho durante todo o ano nas cozinhas regionais, nas unidades industriais, nas 185 explorações pecuárias do porco bísaro, o responsável pela carne que distingue este fumeiro.

Comente este artigo
Anterior "Recomendamos adubar os eucaliptos, assim como se recomenda que os agricultores adubem as suas culturas"
Próximo País está mais urbano, mais florestal e menos agrícola

Artigos relacionados

Nacional

‘Cordyceps militaris´, el hongo silvestre que puede acabar con la procesionaria del pino

[Fonte: Noticias de la Ciencia]

La plaga de la procesionaria del pino puede controlarse eficazmente con el ‘Cordyceps militaris’, […]

Últimas

Amorim inaugura em abril nova fábrica na Austrália e abre unidade no Chile em 2021

Corticeira tenciona inaugurar em abril fábrica em Adelaide, na Austrália e vai abrir uma nova unidade no Chile, no próximo ano, com um grupo local. […]

Nacional

Agricultores entre as novas profissões de residente não habitual (RNH) a pagar menos IRS

A nova tabela de profissões, publicada hoje em Diário da República, deixa de incluir os arquitetos, designers ou geólogos e acrescenta-lhe várias atividades que não estavam contempladas inicialmente, […]