Vila Real quer plantar um milhão de árvores até ao fim de 2020

Vila Real quer plantar um milhão de árvores até ao fim de 2020

Município quer plantar as árvores principalmente nas áreas afectadas pelos fogos. Recentemente, foram abatidas árvores na principal avenida da cidade.

O presidente da Câmara de Vila Real disse esta sexta-feira que o município quer atingir, até ao final de 2020, o objectivo de plantar “um milhão de árvores” no concelho, principalmente, nas áreas afectadas pelos incêndios. “Temos a perspectiva de, até ao final deste ano, termos aproximadamente um milhão de árvores plantadas no concelho, em resultado de múltiplas parcerias”, afirmou Rui Santos, que falava a propósito de uma acção de plantação de árvores que decorreu na serra do Marão, freguesia da Campeã.

Foi há seis anos, em 2014, que o município assumiu o objectivo de atingir a meta de “um milhão de árvores plantadas” no concelho, principalmente em zonas afectadas por incêndios florestais. Na serra do Marão está a decorrer a plantação de cerca de 4.000 árvores de espécies autóctones como carvalhos, pinheiro bravo e bétulas, uma acção que se realiza no âmbito do programa Floresta Comum.

“A Câmara de Vila Real tem aderido anualmente a este programa desde o ano 2014, procedendo à plantação de espécies autóctones em vários espaços municipais, em estreita parceria com as juntas de freguesia e conselhos directivos dos baldios”, salientou. Estas acções de reflorestação realizam-se também em parceria com a Quercus, entidades bancárias e Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF).

Recentemente o município procedeu ao abate de cerca de 50 árvores na principal avenida da cidade, a Carvalho Araújo, uma iniciativa que decorreu no âmbito do projecto de requalificação do espaço urbano e que gerou uma onda de críticas e muita polémica. “As árvores que hoje plantamos não são uma compensação. São sim a normalidade da autarquia de Vila Real que, ano após ano, investe e investe muito no âmbito da biodiversidade”, afirmou Rui Santos.

“Curiosamente” no dia seguinte ao abate, segundo o autarca, estavam a ser plantados 336 pinheiros, no baldio de Benagouro, numa acção conjunta entre o município e o Banco Santander. “Hoje estamos a plantar mais 4.000 na Campeã. Se alerto para estes factos é apenas para desmistificar algumas afirmações que alegam que o município de Vila Real não gosta da natureza. Na própria avenida serão plantadas 76 árvores”, sublinhou.

O autarca justificou que, “por vezes, no espaço urbano, é necessário podar as árvores ou retirar algumas árvores por questões de segurança ou por necessidade de adaptação do urbanismo às novas necessidades de mobilidade e inclusão”. “Não significa que não gostemos da natureza nem dá o direito ao insulto e à ofensa, é apenas um acto de gestão a bem dos nossos concidadãos e do espaço público”, salientou.

O abate das árvores estava contemplado no projecto que esteve em exposição e foi alvo de debates públicos realizados na cidade. O projecto da avenida Carvalho Araújo está incluído no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Vila Real que prevê um investimento global de 17,2 milhões de euros, financiados em 75% por fundos comunitários, e deverá estar concluído em 2022. Para a intervenção na avenida vão ser direccionados cerca de dois milhões de euros. A obra deverá estar concluída em 15 meses.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Anterior Portugal está a ser observado por outros países sobre reação aos incêndios de 2017
Próximo Cotações – Cereais – Informação Semanal – 6 a 12 Janeiro 2020

Artigos relacionados

Dossiers

“Transgénicos” e GMO não são sinónimos. O caso CRISPR – Cas9 – Maria da Graça Carvalho

[Fonte: Observador] Para se falar num transgénico o organismo tem sempre de receber ADN externo de forma a adquirir nova caraterísticas. […]

Últimas

Portugal usa 3,6 milhões para tentar captar investidores receosos com o Brexit

“Portugal, puts itself on the tech map”. Este é o título do suplemento sobre Portugal que saiu na última revista fDi do Financial Times e que se insere no conjunto de iniciativas que a Aicep tem definidas para, […]

Últimas

Ministro da Agricultura defende discriminação positiva nos apoios a pequenos agricultores

O Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, vai negociar em Bruxelas um regime de discriminação positiva para os pequenos agricultores portugueses no âmbito da reforma da Política Agrícola Comum (PAC). […]