Veterinários avisam que métodos usados para destruir ninhos de vespa asiática não são eficazes

Veterinários avisam que métodos usados para destruir ninhos de vespa asiática não são eficazes

A Associação Nacional de Médicos Veterinários dos Municípios (ANVETEM) disse esta quarta-feira (18 de setembro) que os métodos indicados pelas autoridades para destruir os ninhos não são eficazes. Citado pela TSF, Ricardo Lobo, membro da associação, diz que há muito por fazer para combater a vespa asiática, cada vez mais disseminada pelo País.

O responsável diz que este é um problema grave e que o combate não deveria estar ao livre arbítrio das câmaras municipais, referindo que nem todos os municípios estão a optar por destruir os ninhos.

“Se um município decide fazer um combate sério e sistemático e o do lado não faz nada, no ano seguinte o primeiro está de novo cheio de ninhos de vespa asiática”, afirmou em declarações à TSF, referindo que o combate à vespa asiática deve ser considerado uma prioridade nacional.

Ricardo Lobo acrescentou que os métodos divulgados pela Direção-Geral de Veterinária e pelo Instituto da Conservação da Natureza e Florestas no Manual de Boas Práticas na destruição de ninhos, feito pela Comissão de Acompanhamento para a Vigilância, Prevenção e Controlo da Vespa Velutina, não são os mais eficazes.

“Os métodos que nos foram apresentados não são os mais adequados e alguns deles não são exequíveis […]. É impossível levar uma autoescada a sítios onde nem se consegue ir de mota, nem fazer fogo de maçarico em pleno verão…”, refere.

“Com os três métodos que nos são apresentados é muito difícil destruir 80% dos ninhos de vespa asiática que ficam em locais inacessíveis, a mais de 30 metros”, sendo que “os municípios com experiência nesta área desenvolveram métodos que também respeitam o ambiente com moléculas [de inseticidas] mais efetivas que aquelas que nos autorizam a usar” pelos efeitos no meio ambiente, sublinhou ainda Ricardo Lobo.

O artigo foi publicado originalmente em Vida Rural.

Comente este artigo
Anterior ICAAM organiza sessão sobre implementação de uma rede alimentar local
Próximo O cabeça de lista do CDS no círculo de Setúbal, Nuno Magalhães, considerou esta quarta-feira, em Santiago do Cacém, que a aposta na produção agrícola “é vital e prioritária”, tendo em conta não só “o impacto para a economia do país”, como no “combate às alterações climáticas” e proteção do ambiente.

Artigos relacionados

Nacional

Amaragem de avião que combatia fogo em Tomar provocou apenas danos materiais

A amaragem na barragem de Castelo de Bode de um avião que participava no combate ao incêndio que lavra no concelho de Tomar, […]

Notícias cadeia alimentar

O que é que a Mercadona vai fazer de diferente na relação com os produtores?

André Silva é Diretor de Comunicação da Mercadona em Portugal e esteve no AgroIn para falar do que a insígnia vai fazer para valorizar a produção nacional e para melhorar a relação com os produtores. […]

Últimas

O fóssil mais antigo de uma cenoura selvagem foi descoberto na ilha da Madeira

Uma equipa de cientistas descobriu a presença de plantas de cenoura selvagem — com caules e folhas gigantes — há cerca de 1,3 milhões […]