Uva de Mesa e Kiwi nacionais já podem ser exportados para a Costa Rica

Uva de Mesa e Kiwi nacionais já podem ser exportados para a Costa Rica

A exportação de uva de mesa e de kiwi nacionais tem agora um novo mercado disponível: a Costa Rica. De acordo com a Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, “esta conquista representa mais um contributo para o reforço do crescimento e da diversificação das exportações de frutas portuguesas, sendo dado mais um passo na prossecução dos objetivos do Governo no âmbito do apoio e do incentivo à internacionalização das empresas e dos produtos portugueses”.

Nas palavras de Maria do Céu Albuquerque, “para além da pera, da maçã e dos citrinos, agora também a uva de mesa e o kiwi podem ser exportados para a Costa Rica. Atualmente, são 238 os produtos que podemos exportar para 58 destinos. Nesta legislatura, já foram abertos três novos mercados e temos ainda em vista a abertura de mercado para a exportação de quase 300 novos produtos. Estamos a trabalhar nestas oportunidades, conscientes da importância de conquistas como a que anunciamos hoje”. Segundo a Ministra da Agricultura, o aumento das exportações reflete o “dinamismo do setor” e “representa um contributo importante para o crescimento da nossa economia. Pretendemos, pois, continuar a reforçar este contributo, conscientes do papel da agricultura na produção de riqueza, na criação de emprego, na promoção dos nossos produtos, no combate às desigualdades, na garantia de um desenvolvimento coeso do território, no aumento das oportunidades e na valorização das pessoas”.

Tendo sido concluídos os processos de análise de risco de pragas, conduzidos pela Autoridade Fitossanitária da Costa Rica, em estreita articulação com a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, e que permitiram fixar os requisitos fitossanitários a serem cumpridos por Portugal, estão garantidas as condições necessárias para a exportação de uva de mesa e de kiwi nacionais para a Costa Rica. As empresas interessadas neste mercado deverão contactar as Direções Regionais de Agricultura e Pescas para cumprimento da necessária inspeção fitossanitária.

Comente este artigo
Anterior Amêndoa seduz agricultores do Ribatejo
Próximo OE2020: PAN diz que proposta do Governo é de continuidade e pouco ambiciosa

Artigos relacionados

Blogs

Plataforma Sabores com Raça

Trata-se de uma plataforma online que nasceu do desejo de apoiar os criadores e agrupamentos de produtores na venda e distribuição dos seus produtos de forma mais ágil e mais […]

Eventos

Maçã Riscadinha em Jornadas Técnicas – 13 de julho – Palmela

No próximo dia 13 (sábado) o Centro Cultural do Poceirão, em Palmela, recebe as Jornadas Técnicas “O Futuro da Maçã Riscadinha e da Fruticultura da Península de Setúbal”. […]

Sugeridas

A agricultura que resiste na Europa longínqua

[Fonte: Público]
Fazer mel na Letónia, lutar contra a erosão na Alemanha ou apostar na cultura das romãs na Grécia pouco conta nas contas gigantes do Plano Juncker. […]