Opinião: Um cogumelo biológico chinês

Opinião: Um cogumelo biológico chinês

[Fonte: Publico]

O Governo de Portugal lançou recentemente uma Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica. Como é próprio de um Estado socialista, temos uma vez mais o Governo a ditar o que devem os privados fazer e que estratégias devem seguir. Afinal, os empresários não sabem bem o que fazer com o seu dinheiro e o Estado sente a necessidade de os instruir.

Fatores como a vida do solo, a qualidade dos alimentos e o preço final dos bens (questão essencial no que respeita à alimentação das populações mais carenciadas) em nada beneficiam com uma agricultura orgânica. Naturalmente que, tendo esta um espaço crescente junto do consumidor — eu mesmo fui agricultor biológico —, deve ter o seu espaço na produção, mas para isso a União Europeia já a inunda de dinheiros públicos. Se o preço final dos produtos é, também ele, superior ao convencional, para quê meter ainda mais dinheiro nacional neste cesto?

Naturalmente, nada tenho contra uma agricultura moderna e biológica. Mas o que significam 70% de “área biológica” serem pastagens? Ou ainda 0,6% e 1,5% serem, respetivamente, de horticultura e fruticultura? Eu atiro uma pedra ao charco: a esmagadora maioria destes agricultores vê neste tipo de agricultura uma forma de receber mais um subsídio tão importante para a rentabilidade das suas explorações. Deve, pois, concluir-se que a verdadeira produção de alimentos biológicos ainda não acontece em Portugal.

Como é sabido, as importações aumentaram mais de 730% entre 2014 e 2016, com a maioria dos produtos a serem comprados à China. Quando o Governo se propõe colocar uma “percentagem de produtos biológicos no novo regime de frutas e leite nas escolas, prevendo-se igualmente fomentar a incorporação destes produtos nas ementas dos refeitórios públicos e incentivar a criação de ementas biológicas nos refeitórios”, pretende assim colocar um bonito cogumelo chinês no prato dos alunos portugueses? Não seria mais sustentável promover antes e só a agricultura nacional? Por exemplo, em escolas alentejanas, a carne consumida pelos alunos ser do Alentejo? Ou numa escola açoriana o leite provir de uma cooperativa dos Açores?

Imaginação não falta à equipa do Terreiro do Paço, mas a verdadeira forma de Portugal ter uma agricultura capaz de gerar riqueza é, antes de mais, mediante a incorporação de tecnologia. Se o Governo vai promover o “Dia Nacional da Agricultura Biológica”, para quando o “Dia da Agricultura de Conservação”, ou o “Dia da Agricultura de Precisão”? A agricultura biológica que este novo documento promove de sustentável tem ainda muito pouco. Os produtos viajam distâncias inimagináveis até chegarem a Portugal. Esta realidade pouco ou nada tem que ver com o espírito de uma agricultura verdadeiramente biológica. Primeiro teremos de incentivar o consumo nacional, e só depois olhar para estes nichos.

Como se verifica, esta estratégia nacional pouco tem de sustentável, mas apenas de ideológico. Capoulas Santos tem conhecimento de que, no sector agrícola, a esmagadora maioria das políticas públicas vem de Bruxelas. Assim, este tipo de documento serve para… o PAN ver. O modelo agrícola que hoje devemos incentivar é o da produção nacional sustentável, e não este da importação desmedida de produto estrangeiro com um símbolo de sustentabilidade completamente descabido.

Lopo de Carvalho

Engenheiro Agrónomo

Comente este artigo
Anterior Livestock sector representatives talk post-Brexit trade, welfare standards and support payments
Próximo España incrementará las indemnizaciones para el vaciado sanitario de una explotación

Artigos relacionados

Nacional

GNR pára corte ilegal de árvores em espaço florestal em pleno risco máximo de incêndio

[Fonte: Agricultura e Mar]
Há proprietários florestais que insistem em não cumprir as regras durante os períodos de risco máximo de incêndio. Em pleno Estado de Alerta Especial, a GNR detectou dois homens a cortarem ilegalmente árvores em espaço florestal. Nesta situação a utilização de máquinas de corte está […]

Nacional

Lançamento Prémio Nacional de Agricultura 2019 a 26 de Abril na Ovibeja

[Fonte: Jornal de Negócios]
Prémio Nacional de Agricultura 2019
Beja, 26 de abril de 2019 | Ovibeja
 
No dia 26 de Abril é lançada a 8ª edição do Prémio Nacional de Agricultura, na Ovibeja, com a presença do ministro da Agricultura, […]

Nacional

Vasco Cordeiro: investimentos em matadouros reforça condições do sector da carne para criar valor

[Fonte: Agricultura e Mar]

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, afirmou hoje, 18 de Junho, na Ilha Graciosa, que a conclusão do ciclo de investimentos na construção e modernização dos matadouros da Região garante as condições para o sector da carne gerar cada vez mais valor, […]