Trump ameaça fechar fronteira com México

Trump ameaça fechar fronteira com México

Donald Trump continua a fazer ameaças, que pretende cumprir se o Congresso não aprovar um pacote para a construção do muro na fronteira com o México. O presidente dos EUA disse que irá encerrar a fronteira, “elevando a parada” no impasse relativamente à lei do financiamento federal, sublinha a Reuters.

Quando Nancy Pelosy e os democratas reassumirem o controlo da Câmara dos Representantes, no dia 3 de Janeiro de 2019, pretendem aprovar rapidamente o financiamento federal destinado a pôr termo à paralisação (“shutdown”) parcial dos serviços governamentais que teve início a 22 de Dezembro e que foi desencadeado pelo facto de não ter sido dada luz verde à exigência de Trump de obter cinco mil milhões de dólares para financiar a construção do muro ao longo da fronteira com o México.

Os democratas já fizeram saber que o pacote de financiamento federal a ser votado na Câmara dos Representantes não incluirá os cinco mil milhões de dólares que Trump diz serem necessários para a construção do muro – uma peça central na sua dura posição contra a imigração.

O pacote de financiamento seguirá depois para o Senado. Após aprovação nas duas casas do Congresso, cabe a Trump promulgá-lo – mas o chefe da Casa Branca disse na semana passada que irá vetar qualquer proposta de orçamento federal que não contemple os cinco mil milhões pretendidos.

Agora, levou a ameaça mais longe e ameaça fechar a fronteira.

No dia de Natal, Donald Trump brandiu uma vez mais a ameaça de uma paralisação sem termo do governo federal. O presidente norte-americano afiançou que o “shutdown” parcial dos serviços públicos irá manter-se até que seja lhe seja dado o financiamento necessário para a construção do muro.

A Câmara dos Representantes (ainda de maioria republicana, pois só a 3 de Janeiro toma posse a nova “House”) aprovou no dia 20 de Dezembro um pacote orçamental que contempla o valor exigido por Donald Trump. No entanto, o Senado não se decidiu pela aprovação de um decreto de lei que contemple uma verba para o muro – o que ditou o fracasso da lei de financiamento federal que iria permitir que os serviços públicos continuassem a funcionar.

Esta paralisação é parcial, visto que parte do financiamento já está assegurado. Com efeito, já tinha havido aprovação prévia de 75% dos fundos para o funcionamento normal dos serviços públicos. Mas os restantes 25% dos programas federais estão sem dinheiro, pelo que se encontram encerrados. Entre estes 25% estão programas dos departamentos da Segurança Nacional, Justiça e Agricultura.

Trump já tinha ameaçado vetar o pacote orçamental, mesmo que fosse aprovado pela Câmara dos Representantes e pelo Senado (as duas casas do Congresso), caso não estivesse contemplada a verba que exige para prosseguir a construção do muro. E no dia 21 advertiu o país para se preparar para um período “muito longo” de paralisação dos serviços. 

Não se espera que haja qualquer decisão legislativa antes da tomada de posse do novo Congresso – recorde-se que, nas eleições intercalares de Novembro, os democratas recuperaram a maioria na Câmara dos Representantes -, a 3 de Janeiro. E Trump detém poder de veto sobre o diploma que possa vir a ser aprovado no Congresso.

A última vez que houve perigo de “shutdown” foi em Janeiro passado. E aconteceu mesmo, com os serviços públicos do país a paralisarem durante três dias. Ao terceiro dia, os legisladores norte-americanos acabaram por delinear um acordo para a reabertura dos serviços do governo federal.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior El sector recibe 4.000 millones de las ayudas directas de la PAC (80% del total) justo antes de cerrar el año
Próximo El porcino de capa blanca cierra el año con repeticiones generalizadas

Artigos relacionados

Internacional

Cuatro CCAA piden al FEGA unos 115 millones para el pago de anticipos de la PAC


Cuatro Comunidades Autónomas -Andalucía, Canarias, Castilla y León y Extremadura- han solicitado al Fondo Español de Garantía Agraria (FEGA) cerca de 115 millones de euros para el pago de anticipos de las ayudas de la PAC de 2019 en la semana del 21 al 27 de octubre. […]

Notícias PAC pós 2020

Plan Estratégico de la PAC: el MAPA actualiza cronograma y desvela puntos de partida

El Ministerio de Agricultura, Pesca y Alimentación (MAPA) acaba de difundir los textos de partida con los que España trabaja para diseñar su Plan Estratégico de cara a la futura Política Agrícola Común (PAC) post 2020. […]

Últimas

Como o coronavírus vai afetar a procura de produtos lácteos

Os produtos lácteos poderão vir a beneficiar da antecipação das compras por parte do consumidor, devido ao coronavírus e ao período de isolamento. […]