Trabalhos rurais proibidos até à meia-noite de terça-feira. “Grande parte dos incêndios é evitável”, diz Governo

Trabalhos rurais proibidos até à meia-noite de terça-feira. “Grande parte dos incêndios é evitável”, diz Governo

O Governo decretou a proibição de todos os trabalhos rurais até às 24 horas de terça-feira e que os incêndios registados nos últimos dias se devem a atividades evitáveis.

O ministro da Administração Interna disse hoje que vão ser proibidos todos os trabalhos rurais até às 24 horas de terça-feira e que os incêndios registados nos últimos dias se devem a atividades evitáveis.

“Temos verificado mais uma vez nos últimos dias que grande parte dos incêndios são evitáveis. Nesta semana, o incêndio de Vale de Cambra começou com um churrasco, incêndio de Vila Flor no sábado começou com trabalhos agrícolas, outros incêndios também fruto de atividades absolutamente evitáveis”, afirmou o ministro Eduardo Cabrita na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (AENPC), em Carnaxide, Oeiras.

Nesse sentido, foi determinado que serão “proibidos todos os trabalhos em espaço rural, exceto os de combate a incêndios florestais e a garantia da alimentação dos animais pelo menos até às 24:00 da próxima terça-feira”.

O artigo foi publicado originalmente em Jornal de Negócios.

Comente este artigo
Anterior O Rei Vitis Vai Nu - Francisco Toscano Rico
Próximo Prémios Vintage IVDP 2020: candidaturas abertas até 30 de Setembro

Artigos relacionados

Vídeos

Por esse amanhã, hoje, e sempre, #alimentequemoalimenta.

A nossa terra merece. Assim como os nossos produtos, que dela nascem, e as nossas pessoas, que nela trabalham. Hoje, é urgente que possamos dar a […]

Últimas

Fruit Attraction reconhece inovação com os Prémios Accelera

Um total de 10 produtos e serviços de hortofrutícolas estão entre os finalistas dos Prémios Accelera, promovidos pela Fruit Attraction, e que dará […]

Nacional

Mau tempo: Agricultores de Castelo Branco reivindicam declaração de estado de calamidade

A Associação Distrital de Agricultores de Castelo Branco (ADACB) reivindicou hoje a declaração de estado de calamidade pública e exigiu a […]