Tendências para 2018 na distribuição de frutas e legumes apresentadas no arranque da Fruit Logistica, em Berlim

Tendências para 2018 na distribuição de frutas e legumes apresentadas no arranque da Fruit Logistica, em Berlim

A principal feira de hortifruticultura do mundo – a Fruit Logistica – acaba de publicar o seu relatório de tendências para 2018. O documento elaborado pela consultora Oliver Wyman incide sobre as três áreas que irão alterar o fornecimento dos produtos frescos nos próximos dez anos: as novas tecnologias, o crescimento do comércio online e o consumo crescente fora de casa.

O relatório ‘Disrupção na distribuição de fruta e legumes’, elaborado pela Oliver Wyman e apresentado no arranque da Fruit Logistica, que decorre até dia 9 de fevereiro, em Berlim, analisa o comércio global de hortifruticultura com conhecimentos que podem ajudar os produtores de frutas e legumes a satisfazer as exigências dos seus clientes no futuro.

O relatório descreve como os mercados, o consumidor, as empresas e as tecnologias irão alterar a aquisição, o transporte e as vendas de produtos frescos. Os resultados assentam na ideia de um mercado cada vez mais globalizado e interligado, com base no crescimento da população, no aumento da procura em determinadas partes do mundo, e num maior investimento em produtos alimentares.

Em ‘Disrupção na distribuição de fruta e legumes’, a Oliver Wyman prevê novos desafios e oportunidades para o comércio da hortifruticultura:

  • A criação de redes comerciais mais rápidas e mais flexíveis, que será caracterizada por uma maior transparência, sistemas de previsão mais refinados e, em muitos casos, uma colaboração mais estreita entre os parceiros na cadeia de fornecimento;
  • O crescimento contínuo das vendas online de fruta e legumes frescos a nível global, impulsionado pelos custos de envio reduzidos, pelas melhores tecnologias de venda e pelo interesse crescente dos clientes;
  • Maior complexidade e mais expectativas por parte do cliente na área do consumo fora de casa, com o consumidor a exigir cada vez mais qualidade, conforto e variedade nos pontos de venda.

O mercado das frutas e dos legumes frescos está cada vez mais globalizado e interligado”, explica Rainer Münch, principal autor do relatório da Oliver Wyman. “Isto, por sua vez, altera a forma como os produtos frescos chegam ao seu local de destino a partir do seu local de origem”.

Rainer Münch explica ainda que a cadeia de fornecimento das frutas e dos legumes “está a ser redefinida pela criação de novos segmentos de mercado e pela evolução da procura dos consumidores”. As empresas ao longo de toda a cadeia de fornecimento, do produtor ao comércio retalhista, “estão a expandir-se e a formar parcerias”, refere o autor do relatório. “O seu desenvolvimento anda de mãos dadas com um esforço significativo para uma maior eficiência e transparência, apoiado por um progresso tecnológico aparentemente imparável”, salienta Münch.

Will Wollbold, gestor de marca global da Fruit Logistica, acrescenta: “O relatório ‘Disrupção na distribuição de fruta e legumes’ irá ajudar qualquer pessoa no setor hortofrutícola a prever questões importantes relacionadas com o comércio e a aproximar partes interessadas e decisores. Irá também ajudar a responder proactivamente a perguntas que estão diretamente relacionadas com a sua empresa”.

Introdução ao relatório aqui. Serão disponibilizados mais capítulos nos próximos meses na página web da Fruit Logistica.

 

– FRUIT LOGISTICA 2018 Media Preview –
Impression

Comente este artigo
Anterior Fungicida biológico VINTEC registado para a proteção da Vinha contra Doenças do Lenho
Próximo Pergunta MAFDR sobre invasão de abelhas espanholas

Artigos relacionados

Comunicados

CAP e Ministério em protocolo para acesso das organizações ao licenciamento pecuário e continuação do apoio aos criadores

O Sistema Informático do Regime de Exercício da Atividade Pecuária (SI REAP) foi objecto de um protocolo celebrado entre a CAP e diversas […]

Nacional

“Os incêndios acontecem porque não comemos chanfana”

A importância da agricultura coesão territorial foi o tema de abertura do 1º Congresso Ibérico do Milho, que decorre até […]

Nacional

H2020 : Bioeconomia, Biotecnologia e BBI

Recordamos que, como o atual programa de trabalho do H2020 é bianual (2018-2019 e com tópicos indicativos para 2020), não será necessário aguardar a abertura oficial dos concursos 2019 (prevista para Outubro de 2018) para começar a preparar as propostas para estes tópicos (templates). […]