Tecnologia portuguesa quer prever pragas e doenças na vinha

Tecnologia portuguesa quer prever pragas e doenças na vinha

[Fonte: Vida Rural]

A empresa nacional Signinum Inovação criou uma tecnologia multiespectral que permite controlar pragas e antever doenças nas vinhas. De acordo com a empresa, que já recebeu mais de 2,5 milhões de euros de financiamento, trata-se de uma solução de “imagem espectral não-destrutiva e que pode ser utilizada em diferentes amostras, desde plantas de reduzida dimensão até áreas de cultivo extensas”.

A solução acaba de ganhar mais um projeto do Portugal 2020, com a atribuição de 800 mil euros para investir na tecnologia que permite controlar pragas e antever doenças nas vinhas.

“A utilização desta tecnologia permite, em tempo real, controlar e antever problemas como carências nutricionais, pragas, doenças e stress hídrico das culturas”, diz ainda a empresa. A startup está incubada na UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e está agora a trabalhar com produtores de Vinho Verde para testar a tecnologia.

“Com esta solução, os produtores conseguem monitorizar a cultura da vinha em tempo real e tomar decisões fundamentas. Para nós, trabalhar diretamente com os produtores ajuda-nos a perceber as suas necessidades, o que nos permite ajustar a tecnologia”, explica Carlos Aguiar, Diretor da Signinum Inovação.

Comente este artigo

O artigo Tecnologia portuguesa quer prever pragas e doenças na vinha foi publicado originalmente em Vida Rural

Anterior Terra Emergente - T.3 Ep.6 - Insetos Comestíveis
Próximo Trioza erytreae: DGAV actualiza zona demarcada do insecto vector da psila dos citrinos

Artigos relacionados

Sugeridas

Valorfito renova licença e alarga âmbito de atuação

O Valorfito, o Sistema Integrado de Gestão de Embalagens e Resíduos em Agricultura, viu renovada a licença em vigor e passa a integrar a gestão dos resíduos das embalagens dos biocidas de controlo de animais prejudiciais e de proteção da madeira, assim como as embalagens de sementes destinadas a utilização profissional. […]

Últimas

Mais de 61 mil hectares de área ardida até 30 de junho

Os incêndios florestais consumiram 61.624 hectares nos primeiros seis meses do ano e 2017 foi considerado o ano com maior área ardida desde 2007 e o quinto ano com mais ocorrências desde essa data, comparando com os períodos homólogos.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Internacional

Agriculture, environment MEPs set out positions on new EU fertiliser rules

Agriculture and environment MEPs have set out their wishes with respect to proposed new rules on organic and waste-based fertilisers, ahead of negotiations with the other Parliament committees working on the file.

The EU executive lastyear proposed creating a regulation on organic and

We now require all subscribers to register with us the first time they log into the site. […]