Simab: Banco Alimentar/Lisboa recolhe no MARL

Simab: Banco Alimentar/Lisboa recolhe no MARL

[Fonte: SIMAB]

O Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL) é a entidade onde o Banco Alimentar Contra a Fome recolhe a maior quantidade de alimentos, designadamente fruta e legumes. De acordo com o respetivo relatório, no ano passado, a recolha feita no MARL rendeu mais de 2 500 toneladas de alimentos, correspondentes, assim, a 25 por cento de toda a recolha que o Banco Alimentar de Lisboa logrou fazer em 2017.

Tendo em conta os cálculos do próprio BA, este volume de alimentos significaria, em termos financeiros, mais de 2 milhões e 600 mil euros, doados por 173 operadores desta plataforma agroalimentar.

Outro dado que o relatório permite constatar é o de que o posto de recolha do MARL – instalado em dois espaços cedidos pela entidade gestora – registou uma subida de 8,7% relativamente ao ano anterior, ou seja, mais 192 483 toneladas.

A par do Mercado Abastecedor de Lisboa, o documento refere que toda a indústria agroalimentar participante na campanha de 2017 ofereceu ao BA cerca de 42,2% do total de dádivas, ou seja, mais de 4 mil toneladas.

Os Bancos Alimentares são Instituições Particulares de Solidariedade Social que lutam contra o desperdício de produtos alimentares, encaminhando-os para distribuição gratuita às pessoas carenciadas.

A sua ação assenta na gratuitidade, na dádiva, no voluntariado e no mecenato, recolhendo e distribuindo dezenas de milhar de toneladas de produtos e apoiando, ao longo de todo o ano, a ação de instituições em Portugal. Por sua vez, estas distribuem refeições confecionadas e cabazes de alimentos a pessoas comprovadamente carenciadas, abrangendo já a distribuição total mais de 390.000 pessoas.

A Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome coordena esta ação, anima a rede disponibilizando informação e meios materiais, representa os Bancos Alimentares Contra a Fome junto dos poderes públicos, das empresas de âmbito nacional e de organizações internacionais e efetua, a nível nacional, a repartição de algumas dádivas, criando uma vasta cadeia de solidariedade.

SIMAB, 11 de dezembro de 2018

Comente este artigo
Anterior Governo diz que já executou metade do Programa de Desenvolvimento Rural
Próximo TSF debate ciência e produção agrícola

Artigos relacionados

Comunicados

CDS quer saber se está a ser aplicado algum plano de contenção relativo à Xylella fastidiosa

[Fonte: CDS]
Os deputados do CDS-PP Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral questionaram o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural na sequência da identificação de plantas portadoras de Xylella fastidiosa em Vila Nova de Gaia.
Na pergunta enviada à tutela, […]

Comunicados

Projecto Melhor Eucalipto marca presença no Centro e Norte do País com sessões dedicadas à gestão florestal activa

Projecto Melhor Eucalipto estará nos distritos de Leiria, Aveiro, Viseu e Viana do Castelo.
A equipa do Projecto Melhor Eucalipto tem agendadas novas sessões de informação em Abril e Maio sobre boas práticas silvícolas na cultura do eucalipto.
Entre os temas a abordar nas sessões de informação estão o controlo de infestantes (mato) e de pragas e doenças, […]

Sugeridas

Syngenta forma agricultores e técnicos sobre conservação do solo

A Syngenta realizou a 5 de Julho, em Setúbal, as “Jornadas Sustentabilidade e Conservação do Solo”, partilhando conhecimento sobre boas práticas agrícolas de gestão do solo e qualidade da água. […]