Sexta edição do Prémio Intermarché Produção Nacional com inscrições abertas

Sexta edição do Prémio Intermarché Produção Nacional com inscrições abertas

Decorrem até ao próximo dia 15 de
Julho as candidaturas da 6ª edição do Prémio Intermarché Produção Nacional
(PIPN). Os candidatos podem inscrever os seus produtos em uma das quatro
categorias: Produção Primária, Produtos Transformados, Inovação em Embalagem e
Ideias com Potencial. Aos vencedores, o Intermarché assegura o escoamento dos
seus produtos durante um ano, podendo os produtos serem vendidos localmente ou
a nível nacional.

As candidaturas serão avaliadas
por um júri que atribuirá dois Prémios à Produção Primária, outros dois aos
Produtos Transformados e um por cada uma das restantes duas categorias. O júri
poderá ainda atribuir até um máximo de duas Menções Honrosas. O anúncio dos
vencedores está marcado para outubro. Constituem o Júri, para além do
Intermarché, representantes dos parceiros envolvidos nesta iniciativa: a Associação
Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), a Confederação dos Agricultores
de Portugal (CAP), a Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade de
Lisboa (FMV), o Instituto Superior de Agronomia (ISA), a Impresa e a Quercus.

A nível institucional, o Prémio
Intermarché Produção Nacional conta com o apoio do Ministério da Agricultura,
Florestas e Desenvolvimento Rural, Ministério do Ambiente e Transição
Energética, do Ministério do Mar e do Ministro Adjunto e da Economia.

O Prémio Intermarché Produção
Nacional é um projeto de referência que promove ativamente e premeia os
produtores e a produção nacional, reconhece a importância da sustentabilidade e
inovação na produção portuguesa e impulsiona o reconhecimento da produção
nacional de qualidade. Este ano, foi introduzida uma nova categoria que
pretende premiar projetos que se destaquem pela inovação ao demonstrar
preocupação pelo respeito e conservação dos ecossistemas e pela redução dos
impactes ambientais, e que traduzam essa inovação principalmente ao nível da
sustentabilidade da embalagem.

Podem candidatar-se ao Prémio Intermarché
Produção Nacional todos os produtores nacionais, em nome individual ou
coletivo, cujos projetos sejam implementados em Portugal e que se enquadrem
numa ou mais categorias de seleção contempladas pelo Prémio. No site www.premiointermarche.pt/2019 pode ser consultado o regulamento e formalizada
a candidatura ao Prémio.

O Prémio Intermarché e o Programa
Origens

O Prémio Intermarché Produção
Nacional está integrado no Programa de Incentivo à Produção Nacional
publicamente conhecido por Programa Origens. Inicialmente designado aquando da
sua criação em 1999 por Programa AGRO, trata-se do mais antigo programa de
aposta na sustentabilidade e desenvolvimento económico do país promovido por
uma cadeia de distribuição alimentar.

Através deste programa, o Intermarché
procura garantir que os seus clientes tenham acesso a produtos genuinamente
portugueses, de elevada qualidade e a preços baixos, estabelecendo para esse
fim parcerias diretas com vários produtores locais.

Todos os produtos do Programa
Origens estão devidamente identificados no ponto de venda e têm características
em comum: garantia de frescura, obedecendo a elevados padrões de qualidade e
segurança alimentar; de Produção Nacional e/ou com Origem Nacional; são
produtos concebidos em explorações controladas periodicamente; todos os
produtos têm um caderno de encargos associado, sendo a sua produção sempre
acompanhada; fabricação de acordo com as tradições e as técnicas de cada
Região.

As áreas de produção envolvidas
no Programa Origens são as frutas, legumes, carne, peixe, queijo e charcutaria,
com a sua produção anual global superior a 50.000 toneladas, de que resulta uma
oferta de mais de 300 referências.

Presentemente, o Programa Origens
envolve 170 produtores de todo o país, englobando uma área superior a 18.000
hectares. No total já envolveu mais de um milhão de euros de incentivos à
produção nacional e cerca de 500 postos de trabalho permanentes. Estes números
estão em permanente evolução, dada a forte e crescente adesão dos produtores
nacionais.

Essa evolução está também
traduzida na criação do subprograma Origens Premium, uma evolução natural do
conceito de excelência dos frescos nacionais com o rótulo ‘Origens’. São
produtos diferenciadores, com qualidade de excelência e para clientes mais
exigentes, tendo sempre em conta o binómio “máxima qualidade ao melhor preço”.

O artigo foi publicado originalmente em Gazeta Rural.

Comente este artigo
Anterior Casa das Talhas de portas abertas na Feira Nacional de Agricultura
Próximo Parlamento consagra 17 de junho como Dia Nacional das vítimas de fogos

Artigos relacionados

Últimas

Previsão de longo prazo – 23 dez. a 19 jan. 2020

Precipitação total com valores abaixo do normal e temperatura média semanal com valores acima do normal […]

Nacional

Carne Barrosã e Mel de Barroso novamente galardoados no concurso Great Taste

A Carne Barrosã e o Mel de Barroso, dois produtos com Denominação de Origem Protegida (DOP) e cuja gestão e comercialização estão a cargo da Cooperativa Agrícola de Boticas (Capolib), […]

Nacional

Dessalinização pode ajudar o Algarve mas “não resolve todos os males”

A dessalinização de água do mar pode ajudar a combater a seca no Algarve, mas “não vai resolver todos os males” […]