Sete acidentes com aeronaves do dispositivo de combate aos fogos nos últimos dois meses

Nos últimos dois meses, ocorreram sete acidentes com aeronaves do dispositivo de combate a incêndios, avança o “Jornal de Notícias” esta quinta-feira.

Segundo relatórios do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), dois dos sete acidentes deveram-se à inexperiência dos pilotos e a dificuldades na comunicação aeronáutica.

O primeiro acidente ocorreu a 3 de julho: deu-se a amaragem de um avião na Barragem de Castelo de Bode. O GPIAAF então concluiu que o piloto não estava concentrado e não dominava o inglês aeronáutico.

O segundo acidente deu-se a 18 de julho, em Macedo de Cavaleiros. Um helicóptero aterrou na EN102, por problemas técnicos.

O terceiro foi com um avião na barragem de Beliche. Mais uma vez, o GPIAAF apontou a experiência limitada do piloto como motivo.

A 7 e 18 de agosto, houve dois acidentes em Évora: paraquedistas turísticos caíram sobre os helicópteros estacionados na pista, causando danos. Já a 1 de setembro houve uma nova amaragem na barragem do Sabugal.

O último acidente ontem, com um helicóptero na Pampilhosa da Serra e provocou ferimentos a um militar da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro (UEPS). A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) já abriu um inquérito ao sucedido.

O artigo foi publicado originalmente em Expresso.

Comente este artigo
Anterior Madeira gasta milhões a alcatroar estrada numa floresta protegida
Próximo Incêndios: Cerca de uma centena de concelhos de 15 distritos em risco máximo

Artigos relacionados

Últimas

Phil Hogan anuncia mais apoios para ‘renovação geracional’ na agricultura

Phil Hogan, Comissário Europeu para a Agricultura, disse na passada semana, durante um discurso dirigido aos jovens agricultores europeus da organização CEJA, […]

Nacional

Incêndios. Rui Rio reúne-se hoje em Vila de Rei com autarcas de concelhos afetados

De acordo com uma nota de imprensa do PSD, a deslocação de Rio ao centro geodésico de Portugal destina-se a fazer um balanço sobre os incêndios que deflagraram no dia 20 na região e que afetaram os concelhos de Vila de Rei e Sertã, […]