SEMEAR: Capacitação e inclusão profissional no sector agroalimentar – Tomás Coimbra

SEMEAR: Capacitação e inclusão profissional no sector agroalimentar – Tomás Coimbra

O Sector Agroalimentar, composto pela Agricultura, a Indústria e o Comércio, tendo grande dispersão geográfica, abarca uma enorme diversidade de tarefas e ambientes profissionais. Aproveitar estas características para proporcionar emprego e mais dignidade às pessoas, que tendo maiores dificuldades na integração, encontram neste sector uma solução de trabalho, é um dever da nossa sociedade. O SEMEAR surge com este propósito. É criado pela Associação BIPP – Inclusão para a Deficiência para combater a baixa formação e o elevado desemprego de uma “fatia” da população com potencial para o emprego, mas que encontra dificuldades de integração na Sociedade e no Emprego, pelas dificuldades intelectuais ou de desenvolvimento (DID) que têm. Este programa de intervenção social é inovador pela equipa técnica multidisciplinar que o compõe, pelo rol de parceiros angariados e pelos resultados e impactos gerados.

Durante 18 meses de formação, capacita-se cada pessoa para melhorar o perfil de empregabilidade, promove-se e acompanha-se a inclusão profissional no sector Agroalimentar. Desta forma, a hipótese de uma integração bem-sucedida aumenta. Esta é a tarefa da equipa técnica na Academia SEMEAR! Nos últimos dois anos, entraram 52 pessoas, das quais 36 terminaram a formação com sucesso e 20 estão enquadradas profissionalmente ao dia de hoje, em empresas que valorizaram as características individuais e a diversidade humana!

Mas o SEMEAR vai mais longe. Além da Academia SEMEAR e do envolvimento técnico na integração profissional, até um ano após a pessoa terminar a formação, com a celebração de um protocolo de colaboração com o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária I.P (INIAV), criámos um negócio social próprio, uma exploração agrícola, que objectiva gerar postos de trabalho em Horticultura, atingir a sustentabilidade social e financeira pela produção de horticultura de elevada qualidade e diferenciada, sensibilizar a Sociedade para a nossa missão e servir de boa prática para outros agricultores.

O SEMEAR na Terra encontra-se em plena cidade de Oeiras, na sede do INIAV, emprega hoje 6 ex-alunos da Academia SEMEAR e dois agrónomos (eu incluído) em que a produção hortícola, em processo de certificação Global GAP, é a principal actividade.  Como em qualquer negócio, os primeiros anos da actividade são custosos em investimento e infraestruturação, mas graças ao envolvimento de financiadores, parceiros no desenvolvimento do negócio e apoios de empresas agroalimentares de referência nacional, estamos agora capacitados para gerar produtos frescos, receitas e impacto social.

A produção agrícola é escoada em duas modalidades: (1) venda à Indústria de Fresco e Supermercados e (2) venda em cadeia curta, directa ao consumidor, através do nosso site e de bancas no Lagoas Park e INIAV.

Do ponto de vista técnico, beneficiamos de ter mão-de-obra disponível a tempo inteiro para conduzir áreas de monoculturas, tal como couves lombardo e portuguesa, butternuts e batata-doce, e uma área de horta com 1 hectare, onde cultivamos 18 produtos, tal como, tomate, fava, melão, coentros.

Os dias de trabalho no SEMEAR na Terra são prova que este público-alvo merece ter o seu lugar na economia e na sociedade. Há uma geração de riqueza que ultrapassa o salário imediato. Estamos a permitir que pessoas dependentes de subsídios, de apoios ou da família, possam ser pessoas activas e melhor preparadas.

Ocasionalmente, deparamo-nos com desafios inerentes a trabalhar com estas pessoas com DID como, por exemplo, dificuldade na resolução de problemas, na organização do trabalho ou na motivação diária e constante, mas no fim, teremos ganho pelo seu crescimento profissional e pessoal e pelas melhorias verificadas também no meio social e familiar de cada e isso deixa-nos satisfeitos.

No SEMEAR, procuramos em base diária, mudar vidas, proporcionar Inclusão e tornar a Sociedade mais coesa.

Conheça-nos melhor e aos nossos parceiros no nosso site, www.semear.pt e acompanhe-nos nas redes sociais.

Tomás Sassetti Coimbra

Engenheiro Agrónomo

Imagens do projecto SEMEAR

Receba este artigo na newsletter do Agroportal

[wysija_form id=”1″]

 

Comente este artigo
Anterior Quercus lamenta “total laxismo” das autoridades em política florestal
Próximo Imprevisível?

Artigos relacionados

Últimas

Resposta ao artigo de opinião “Agricultura biológica é pior para o ambiente” de João Júlio Cerqueira e seus constantes ataques à esta agricultura – Denis Kern Hickel

Escrevo essencialmente em meu nome, pois para defender os interesses do setor temos associações e outras entidades […]

Opinião

Coerência, e não conveniência, precisa-se! – Maria Cândida Marramaque

A adesão a um determinado estilo de vida depende, em última análise e excluindo entre outras as questões culturais, religiosas e de saúde, […]

Opinião

O meu contacto com a Vespa-asiática e as (possíveis) consequências da sua presença para a Agricultura e Apicultura Nacional – João Sousa

A presença de espécies invasoras no território nacional é um fenómeno cada vez mais comum, sendo um forte motivo de preocupação pelos danos ambientais, económicos e sociais que provocam. […]