SEMEAR: Capacitação e inclusão profissional no sector agroalimentar – Tomás Coimbra

SEMEAR: Capacitação e inclusão profissional no sector agroalimentar – Tomás Coimbra

O Sector Agroalimentar, composto pela Agricultura, a Indústria e o Comércio, tendo grande dispersão geográfica, abarca uma enorme diversidade de tarefas e ambientes profissionais. Aproveitar estas características para proporcionar emprego e mais dignidade às pessoas, que tendo maiores dificuldades na integração, encontram neste sector uma solução de trabalho, é um dever da nossa sociedade. O SEMEAR surge com este propósito. É criado pela Associação BIPP – Inclusão para a Deficiência para combater a baixa formação e o elevado desemprego de uma “fatia” da população com potencial para o emprego, mas que encontra dificuldades de integração na Sociedade e no Emprego, pelas dificuldades intelectuais ou de desenvolvimento (DID) que têm. Este programa de intervenção social é inovador pela equipa técnica multidisciplinar que o compõe, pelo rol de parceiros angariados e pelos resultados e impactos gerados.

Durante 18 meses de formação, capacita-se cada pessoa para melhorar o perfil de empregabilidade, promove-se e acompanha-se a inclusão profissional no sector Agroalimentar. Desta forma, a hipótese de uma integração bem-sucedida aumenta. Esta é a tarefa da equipa técnica na Academia SEMEAR! Nos últimos dois anos, entraram 52 pessoas, das quais 36 terminaram a formação com sucesso e 20 estão enquadradas profissionalmente ao dia de hoje, em empresas que valorizaram as características individuais e a diversidade humana!

Mas o SEMEAR vai mais longe. Além da Academia SEMEAR e do envolvimento técnico na integração profissional, até um ano após a pessoa terminar a formação, com a celebração de um protocolo de colaboração com o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária I.P (INIAV), criámos um negócio social próprio, uma exploração agrícola, que objectiva gerar postos de trabalho em Horticultura, atingir a sustentabilidade social e financeira pela produção de horticultura de elevada qualidade e diferenciada, sensibilizar a Sociedade para a nossa missão e servir de boa prática para outros agricultores.

O SEMEAR na Terra encontra-se em plena cidade de Oeiras, na sede do INIAV, emprega hoje 6 ex-alunos da Academia SEMEAR e dois agrónomos (eu incluído) em que a produção hortícola, em processo de certificação Global GAP, é a principal actividade.  Como em qualquer negócio, os primeiros anos da actividade são custosos em investimento e infraestruturação, mas graças ao envolvimento de financiadores, parceiros no desenvolvimento do negócio e apoios de empresas agroalimentares de referência nacional, estamos agora capacitados para gerar produtos frescos, receitas e impacto social.

A produção agrícola é escoada em duas modalidades: (1) venda à Indústria de Fresco e Supermercados e (2) venda em cadeia curta, directa ao consumidor, através do nosso site e de bancas no Lagoas Park e INIAV.

Do ponto de vista técnico, beneficiamos de ter mão-de-obra disponível a tempo inteiro para conduzir áreas de monoculturas, tal como couves lombardo e portuguesa, butternuts e batata-doce, e uma área de horta com 1 hectare, onde cultivamos 18 produtos, tal como, tomate, fava, melão, coentros.

Os dias de trabalho no SEMEAR na Terra são prova que este público-alvo merece ter o seu lugar na economia e na sociedade. Há uma geração de riqueza que ultrapassa o salário imediato. Estamos a permitir que pessoas dependentes de subsídios, de apoios ou da família, possam ser pessoas activas e melhor preparadas.

Ocasionalmente, deparamo-nos com desafios inerentes a trabalhar com estas pessoas com DID como, por exemplo, dificuldade na resolução de problemas, na organização do trabalho ou na motivação diária e constante, mas no fim, teremos ganho pelo seu crescimento profissional e pessoal e pelas melhorias verificadas também no meio social e familiar de cada e isso deixa-nos satisfeitos.

No SEMEAR, procuramos em base diária, mudar vidas, proporcionar Inclusão e tornar a Sociedade mais coesa.

Conheça-nos melhor e aos nossos parceiros no nosso site, www.semear.pt e acompanhe-nos nas redes sociais.

Tomás Sassetti Coimbra

Engenheiro Agrónomo

Imagens do projecto SEMEAR

Receba este artigo na newsletter do Agroportal

 

Comente este artigo
Anterior Pedrógão Grande: Ministro da Agricultura convoca reunião para analisar medidas de apoio
Próximo El aceite de oliva italiano, en sus horas más bajas con una caída del 61% y para beneficio de España

Artigos relacionados

Opinião

O Valor económico da Marca – Pedro Pimentel

A volatilidade e a competitividade dos mercados hoje exige, mais do que nunca, um reforço na discussão pública sobre o contributo das Marcas na economia nacional e sobre a forma como estas trazem valor acrescentado às nossas empresas e ao nosso país.
As marcas representam selos de qualidade e reputação e Portugal tem tido exemplos vários de setores cujas marcas ou produtos se traduzem em valor acrescentado para a economia e para a sociedade. […]

Opinião

Inquietações de um Jovem Agricultor Português – Afonso Bulhão Martins

Antes de desenvolver a opinião que me fez aceitar redigir este artigo gostava de fazer dois pontos prévios:
Em primeiro lugar, sou um jovem agricultor de 26 anos, estabelecido há cerca de dois, e, por isso, com uma experiência muito reduzida. Possivelmente, personalidades do sector poderão discordar ou explicar as razões para a ocorrência das situações que me deixaram “inquieto”. […]

Opinião

Acordo UE- Canadá: chegou a carne de bisonte – Lopo de Carvalho

O Parlamento Europeu, câmara eleita por todos os cidadãos europeus, aprovou o acordo comercial entre a União a 28 e o Canadá (CETA). A grande implicação deste acordo para o sector agrícola é, essencialmente a redução drástica, em mais de 90%, das tarifas alfandegárias. Esta diminuição forte de impostos aplicados aos bens transacionados, […]