Sem agricultura não há floresta

Sem agricultura não há floresta

Reunida hoje em Assembleia Geral a UNAC enfatiza a necessidade imperiosa de assegurar financiamento para todas as Medidas Agro-Ambientais do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) no ano de 2020.

Sabemos hoje que são necessários 20 M€ para que seja possível manter o programa de Medidas Agro- Ambientais em todo o território nacional.

Este facto deixa apenas uma hipótese ao Governo Português: compatibilizar o uso dos fundos disponíveis no PDR para a agricultura e para a floresta e garantir o pagamento das Medidas Agro-Ambientais, um rendimento essencial à viabilidade económica destes sistemas de produção.

Num momento em que existe o compromisso europeu do Green Deal, em que a Acção Climática é uma prioridade do Estado e em que toda a sociedade se envolve em comportamentos mais sustentáveis, o  Estado Português prepara-se para penalizar as boas práticas agrícolas e os sistemas mais frágeis em termos agro-ecológicos, descontinuando o pagamento das Medidas Agro-Ambientais no ano de 2020.

Este é o primeiro mau exemplo da falta de integração governativa sobre os assuntos do território rural, dissociando as florestas da envolvente agrícola e pecuária que são o seu seguro diário, pelo controlo da carga combustível que asseguram e pela presença humana que garantem.

Uma agricultura ecológica e complementar da floresta, que garanta um mosaico vivo e um modelo de desenvolvimento agro-florestal de uso-múltiplo e baixa intensidade produtiva é essencial para a resiliência dos nossos territórios rurais e para a sua acção determinante em termos climáticos: não arderem e assegurarem o sequestro de carbono.

As medidas Agro-Ambientais mais penalizadas por este corte serão as medidas específicas dos Montados, do Olival Tradicional ou do Castanheiro, medidas complementares à produção integrada e à produção biológica e aquelas que fazem maior diferença nos territórios mais frágeis, em termos sociais e ambientais.

Dentro dos fundos ainda disponíveis no PDR é perfeitamente possível em 2020 compatibilizar as necessidades para a continuidade das Medidas Agro-Ambientais (20 M€), com um pacote robusto e adequado de investimento na floresta (70 M€) abarcando as medidas de arborização e de beneficiação florestal.

A disponibilização de 70 M€ para investimento na floresta em 2020 representa um aumento superior a 20 % nas verbas lançadas a concurso e contratadas em média nos últimos 4 anos. Esta solução de compromisso responde às necessidades do sector florestal, devendo os apoios à floresta ser prioritariamente direcionados para as intenções de investimento já manifestadas.

Apoiar o modelo de produção Agro-Florestal é responder ao compromisso da sociedade e contribuir para um balanço social, ambiental e climático positivo.

Comente este artigo
Anterior Sessão de divulgação de Medida PDR 2020 - 19 de dezembro - Beja
Próximo Vítimas de Pedrógão Grande com nova líder

Artigos relacionados

Nacional

Reforma da floresta não pode ser adiada por mais dez anos

[Fonte: Governo]

Ministros Adjunto e da Economia, Siza Vieira, e da Agricultura Floresta e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, […]

Sugeridas

Top 5 das ofertas de emprego mais lidas em 2018 no Agroportal

Estas foram as ofertas de emprego mais lidas no www.agroportal.pt no ano 2018.
Para as ler ou reler clique nas imagens. […]

Nacional

Senadores republicanos do Oregon fogem para não passar lei ambiental

Congresso do Oregon. Os republicanos estão em minoria no Senado

Senadores estaduais do Oregon encontram-se a monte desde quinta-feira passada para não votarem uma lei ambiental. […]