Sector europeu de flores e plantas ornamentais pede apoio urgente à União Europeia

Sector europeu de flores e plantas ornamentais pede apoio urgente à União Europeia

Nove entidades europeias do sector das flores e plantas ornamentais emitiram um apelo conjunto para que a Comissão Europeia accione, com urgência, medidas para todo o espaço da União Europeia no sentido de «ajudar o sector a sobreviver ao impacto brutal da Covid-19». A mensagem conjunta enviada a 10 de Abril ao comissário europeu para a Agricultura e Desenvolvimento Rural, Janusz Wojciechowski, especifica três pedidos:

  • «medidas de apoio extraordinárias urgentes e temporárias da União Europeia concebidas especificamente para ajudar os produtores e todos os operadores do sector em todo o espaço do União Europeia a sobreviver à crise até que a actividade possa ser retomada;
  • um sinal forte e concreto da Comissão Europeia de que as flores e plantas ornamentais são importantes e que são um grande contribuinte para o bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos europeus e para os esforços de mitigação das alterações climáticas e para a protecção da biodiversidade;
  • um claro reconhecimento, a nível da União Europeia, de que investir agora neste sector para o ajudar a sobreviver irá evitar efeitos irremediáveis e de longo prazo na actividade económica e no emprego notavelmente criados e sustentados pelo amplo conjunto de operadores neste sector durante décadas sem qualquer intervenção ou suporte da União Europeia.»

Segundo um comunicado sobre esta mensagem conjunta, divulgado pela Assembleia das Regiões Europeias Hortofrutícolas (Areflh), também signatária, «as estimativas preliminares sugerem que a procura geral de flores e plantas ornamentais diminuiu 80% em toda a União Europeia com a introdução de medidas de confinamento e o encerramento imediato de lojas especializadas não essenciais na maioria dos países europeus». É ainda referido que «estas circunstâncias infelizes e o efeito de dominó que se seguiu colocaram todos segmentos e sub-sectores do sector das flores e plantas ornamentais numa posição extremamente vulnerável, precisamente quando estava a entrar na sua época de pico, durante a qual realiza entre 50% a 80% do seu rendimento anual».

A mensagem conjunta é assinada por Union Fleurs (associação internacional do comércio florícola), ENA (associação europeia de viveiros), Arelfh, VBN (associação holandesa de leilões de flores), VAL’HOR (interprofissional francesa para a horticultura ornamental), Anthos (associação comercial de flores), Ciopora (associação internacional de produtores de variedades hortícolas com reprodução assexuada), Fleuroselect (associação internacional de reprodução, produção e distribuição de material de propagação de plantas ornamentais) e ELCA (associação europeia de empreiteiros de jardinagem e paisagismo).

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior COVID 19 | Plano de Medidas excecionais para o setor agroalimentar - atualização
Próximo Os desafios do agroalimentar no pós pandemia

Artigos relacionados

Últimas

Governo Regional contesta “taxas absurdas” cobradas pelas câmaras aos agricultores

“Preços absurdos” e “exorbitantes” é como o Governo Regional classifica as taxas e cauções cobradas por algumas autarquias aos investimentos […]

Últimas

Marcelo defende “receita muito significativa” que novos impostos podem trazer

O Presidente da República não condena a proposta do Executivo de criar três novos impostos para ajudar a financiar o Orçamento comunitário, […]

Eventos

Apresentação das Startups do programa cropUP – 29 de Setembro – Sessão online

O cropUP é um programa que apoia startups, que desenvolvem soluções inovadoras para o sector agroalimentar e florestal, a desenvolverem o seu negócio. […]