Saque de alfarroba, um crime que se repete ano após ano

Saque de alfarroba, um crime que se repete ano após ano

Vão longe os tempos do “guarda da fruta”, armado de varapau, para afugentar assaltantes. Os netos desses guardiães do campo são agora uma espécie de “braço não-armado” da GNR para prevenir o furto da alfarroba.

A época oficial da apanha da alfarroba começa no início de Agosto, mas os roubos e as colheitas prematuras começaram há cerca de três semanas. Os protagonistas deste tipo de crime – que se repete como uma tradição, ano após ano – anteciparam-se aos donos da propriedade e lançaram-se a colher as vagens ainda verdes. No concelho de Loulé, zona onde se concentra a maior extensão desta cultura de sequeiro, a GNR apreendeu esta semana 450 quilos, a juntar às 11 toneladas detectadas num acampamento e […]

Continue a ler este artigo no Público.

Comente este artigo
Anterior Agricultores da Guiné-Bissau querem campanha de caju gerida pelo Ministério da Agricultura
Próximo Portugal proíbe transitoriamente a caça à rola-comum na época venatória de 2021-2022

Artigos relacionados

Notícias florestas

Governo estende prazo para apoiar produtores florestais afetados pela tempestade Leslie

[Fonte: Observador]

O Governo estendeu o prazo para as candidaturas dos produtores florestais que pretendem receber apoios após os estragos causados pela tempestade Leslie. […]

Dossiers

Lidl e Portugal Fresh exportam 15 mil toneladas de frutas e legumes para a Europa

O Lidl Portugal e a Portugal Fresh apresentaram em Berlim, no âmbito da Fruit Logistica, a maior feira de frutas e legumes do Mundo, […]

Vídeos

Sociedade Civil: Fruta das Ilhas

Em semana dedicada à fruta, viajamos até às ilhas: Açores e Madeira. Provamos os sabores conferidos pela temperatura, pela humidade e pelo sol insulares. […]