Sapadores florestais vão ser reforçados com mais 40 equipas

Sapadores florestais vão ser reforçados com mais 40 equipas

Os sapadores florestais vão ser reforçados com 40 novas equipas em todo o país, estando criadas até final do ano um total de 500 equipas, envolvendo 2.500 pessoas, anunciou o Governo esta segunda-feira.

Num comunicado, o gabinete do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural explica que já está aberto o concurso para a criação das 40 equipas de sapadores florestais, 15 das quais poderão integrar novas brigadas.

A criação das novas equipas custa 2,6 milhões de euros, financiados pelo Fundo Florestal Permanente, e o concurso aplica-se a todo o país, para reforçar os meios de prevenção e defesa da floresta contra incêndios.

O Governo diz no documento que quer criar até cinco brigadas de sapadores florestais, cada uma composta por três equipas, envolvendo 15 elementos por brigada.

Segundo o comunicado podem candidatar-se à criação das brigadas as Comunidades Intermunicipais ou as Áreas Metropolitanas.

“As restantes 25 equipas deverão abranger uma área de intervenção mínima igual ou superior a 2.500 hectares de floresta ou, no caso de se tratar de uma superfície de floresta e matos, com um mínimo de 7.500 hectares”, explica o Governo.

As candidaturas, diz, devem ser formalizadas junto do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) até 15 de outubro, sendo que até ao fim deste mês as entidades titulares de equipas de sapadores podem pedir a alteração da área de intervenção de uma equipa.

As candidaturas poderão ser apresentadas por Agrupamentos de Unidades de Baldios, Unidades de Baldios, entidades gestoras de Zonas de Intervenção Florestal (ZIF), associações e cooperativas reconhecidas como Organizações de Produtores Florestais e Juntas de Freguesia e seus agrupamentos ou associações, esclarece também o Governo.

Neste momento estão em atividade 400 equipas de sapadores florestais, 128 destas criadas pelo atual Governo.

O artigo foi publicado originalmente em Rádio Renascença.

Comente este artigo
Anterior João Ponte destaca intenso trabalho do Governo dos Açores para a próxima PAC
Próximo Greve de motoristas: CAP defende “tratamento separado”

Artigos relacionados

Últimas

A importância do boro e do zinco no amendoal

IntroduçãoA aplicação de determinados nutrientes no amendoal de forma correcta e equilibrada, melhora a produção quantitativa e qualitativa da amêndoa e além disso confere às plantas uma maior resistência às doenças, […]

Nacional

CCDR de Lisboa e Vale do Tejo preocupada com diminuição da população “superior a 10%”

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT) disse esta segunda-feira que o principal desafio da região é […]

Nacional

DGAV divulga novo ofício por causa da Xylella fastidiosa

OFÍCIO CIRCULAR N.º 2/2019
Assunto: Primeira detecção de Xylella fastidiosa em Portugal
A 3 de Janeiro de 2019 foi confirmada a presença da bactéria Xylella fastidiosa numa sebe ornamental de Lavandula dentata presente no jardim do Zoo de Santo Inácio, […]