Projetos que alargam competências da Proteção Civil no resgate animal baixam à comissão

Projetos que alargam competências da Proteção Civil no resgate animal baixam à comissão

Os projetos de lei apresentados pelo PAN, BE e pela deputada não inscrita Cristina Rodrigues, que pretendem alargar as competências da Proteção Civil no resgate animal em caso de catástrofe, baixaram hoje à comissão, sem votação, por 60 dias.

BE, PAN e a deputada não inscrita Cristina Rodrigues requereram que os projetos de lei respetivos baixassem, sem votação, à discussão na especialidade em comissão parlamentar, por 60 dias – decisão que foi aprovada por unanimidade.

O debate sobre as propostas apresentadas seguirá agora na comissão, onde se tentarão encontrar consensos e um texto comum, caso haja acordo, que voltará a plenário para a votação final global.

O projeto de lei apresentado pelo Pessoas-Animais-Natureza (PAN) visa a criação de unidades especiais de salvação e resgate animal em áreas afetadas por acidente grave ou catástrofe, que seriam integradas na ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil), e ainda o reconhecimento dos médicos veterinários municipais como agentes de proteção civil, insistindo numa proposta rejeitada na anterior legislatura.

O PAN propõe que também sejam criadas equipas de resgate a nível municipal, por iniciativa das comissões municipais de proteção civil, compostas “obrigatoriamente” por “médicos veterinários municipais e/ou ao serviço do município”, e que poderão “facultativamente integrar representantes de associações zoófilas”.

O Bloco de Esquerda insiste na necessidade de “alargar o domínio da atuação da Proteção Civil”, com um projeto de lei que visa a integração de representantes de saúde e bem-estar animal e entidades competentes nos “órgãos de coordenação e planeamento em matéria de proteção civil”, defendendo ainda, ao nível municipal, que a atividade da proteção civil possa também ser exercida “no domínio do planeamento de soluções de emergência para a busca, o salvamento, a prestação de socorro e de assistência animal”.

“Também na vertente da articulação operacional da proteção civil passam a estar representadas entidades competentes em matéria de saúde e bem-estar animal”, continua o texto bloquista, que propõe a integração de representantes da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) no Centro de Coordenação Operacional Nacional (CCON) de forma a assegurar “a necessária articulação entre as diversas entidades e instituições indispensáveis às operações de proteção e socorro, emergência e assistência”.

Já o projeto de lei da deputada não inscrita Cristina Rodrigues defende igualmente a “criação de uma Equipa Especial de Socorro Animal”, vocacionada para o “resgate, socorro e assistência a animais em áreas afetadas por acidente grave ou catástrofe” que apoiaria no terreno os restantes operacionais da proteção civil.

A votos hoje foi também um projeto de resolução do PEV sobre a matéria, que acabou ‘chumbado’ por PS e PSD.

O PEV recomendava ao governo “a formação de pessoas, no âmbito da proteção civil e, consequentemente, no seio das entidades responsáveis pelo socorro em caso de catástrofe, para salvar e resgatar animais em perigo de vida”, envolvendo associações de defesa dos animais.

Comente este artigo
Anterior Parlamento rejeita projetos de lei com medidas de controlo de eucaliptos
Próximo Comissão dos Vinhos Verdes preocupada com proibição de venda de bebidas alcoólicas

Artigos relacionados

Nacional

Comissão Vitivinícola Regional do Tejo tem uma nova morada

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo passa a morar na Rua de Coruche, n.º 85, em Almeirim. A inauguração oficial das instalações tem lugar na quinta-feira, […]

Nacional

Vinhos verdes prometem contra-atacar 1.ª queda nas exportações desde 2004

A exportação de vinho verde vai diminuir este ano, interrompendo pela primeira vez o crescimento desde 2004, mas o presidente da comissão de […]

Últimas

Oferta de emprego – Enólogo Estagiário – Minho – Expirada

A Quinta de Amares – Vinicultura, Lda, empresa sediada na Região dos Vinhos Verdes, procura Enólogo (a) / Enólogo (a) Estagiário (a). […]