Projeto do H2020 “Smartagrihubs” arrancou no início de novembro

Projeto do H2020 “Smartagrihubs” arrancou no início de novembro

O projeto SmartAgriHubs, cofinanciado pelo programa Horizonte 2020 da União Europeia, arrancou no início de novembro, com o objetivo de promover uma vasta transformação digital do setor agroalimentar. Com um orçamento de 20 milhões de euros, o projeto visa construir uma rede Europeia de Digital Innovation Hubs (DIHs) no setor. Em Portugal o projeto é liderado pela CONSULAI.

O projeto SmartAgriHubs quer ser um verdadeiro fator de mudança na adoção de soluções digitais no setor agroalimentar. Algumas iniciativas recentes nesta área mostraram que o setor está aberto aos novos paradigmas digitais, mas as soluções disponíveis atualmente ainda são muito fragmentadas e utilizadas apenas por uma minoria das empresas.

Os Digital Innovation Hubs (DIHs) são ecossistemas que integram PMEs, grandes empresas, startups, centros de investigação e universidades, investidores e outros atores do sistema de inovação, com o objetivo de criar condições favoráveis para o desenvolvimento de inovação e novos negócios na área digital. Mais de 2 milhões de explorações agrícolas europeias serão envolvidas no projeto, que pretende alavancar, fortalecer e conectar DIHs no setor agroalimentar em toda a Europa.

Existem já 140 DIHs associados ao projeto, agregados em nove clusters regionais europeus, sendo um deles o cluster Ibérico, que em Portugal é liderado pela CONSULAI. A função destes clusters é dinamizar e trabalhar em conjunto com a rede de DIHs, para promover e financiar “projetos experimentais de digitização” no setor, desenvolvendo novos conceitos e protótipos para introduzir no mercado. Na região ibérica já estão selecionados três projetos, com financiamento assegurado:

– sistema que usa sensores e inteligência artificial para detetar pragas e doenças nas plantas, coordenado pela empresa Tekever (Portugal);

– portal ibérico para melhorar a gestão de água de rega, coordenado pela empresa Hispatec (Espanha), e baseado no Portal do Regante, da EDIA/Alqueva (Portugal);

– sistema de gestão de informação para explorações de vacas leiteiras, coordenado pelo INGACAL (Instituto Galego da Calidade Alimentaria; Espanha).

Para além destes projetos, já selecionados, serão disponibilizados nos próximos anos mais 5.4 milhões de euros para desenvolver novos “projetos experimentais de digitização”, o que abrirá a oportunidade de participação a mais entidades nacionais. Na parceria inicial estão já envolvidas oito entidades Portuguesas: CONSULAI, TEKEVER, EDIA (Empresa de Desenvolvimento e Infra-Estruturas do Alqueva), UNPARALLEL Innovation, Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio, Associação de Beneficiários da Obra da Vigia, e FreedomGrow.

De acordo com George Beers, coordenador do projeto e investigador na Universidade de Wageningen, o SmartAgriHubs permitirá reunir uma rede de parceiros de toda a cadeia de valor e estados membros da UE, incluindo agricultores, startups tecnológicas, empresas prestadoras de serviços, universidades e decisores políticos. Promoverá assim a 4ª revolução industrial do setor, permitindo uma nova estratégia do digital no setor agroalimentar europeu e aumentando a sua competitividade e sustentabilidade.

Pontos chave do projeto SmartAgriHubs:

– Financiado pelo programa Europeu Horizonte 2020, DT-RUR-12 – Inovação em Tecnologias de Informação e Comunicação para a agricultura: 20 M€;

– Duração: 4 anos, 2018-2022;

– Consórcio: 108 parceiros iniciais, devendo este número aumentar consideravelmente com os concursos para “projetos experimentais de digitização”;

– 140 DIHs, 9 Clusters regionais Europeus, mais de 100 “projetos experimentais de digitização”;

– Mobilização de financiamento adicional de 30 M€;

– Criação de uma rede sustentável de DIHs, com modelos de negócio viáveis e fundos de investimento associados.

Comente este artigo
Anterior Crédito Agrícola patrocina Mercado de Natal do Campo Pequeno
Próximo Live streaming do Simpósio ANIPLA 2018 - 27 novembro

Artigos relacionados

Notícias inovação

BASF ganha prémio Crop Science pela Melhor Inovação para a Agricultura Digital

A BASF Digital Farming GmbH, empresa que integra a Divisão de Soluções para Agricultura da BASF, foi ditinguida com o prémio Crop Science deste ano na categoria de Melhor Inovação Tecnológica para Agricultura Digital. […]

Dossiers

OGM | ‘Sanduiche’ de genes aumenta a resistência do trigo à ferrugem

Investigadores da Agência Científica Nacional da Austrália (CSIRO) lideraram um estudo internacional para, através de um conjunto cinco genes de resistência, desenvolver trigo com um nível de resistência mais forte […]

Nacional

Fibrenamics da UMinho desenvolve soluções para preservação de alimentos frescos

A Fibrenamics, plataforma internacional da Universidade do Minho, apresenta o Saferfood, o projecto de inovação com base em materiais […]