Projeto de biotecnologia para desenvolver o crescimento e a multiplicação de plantas vence concurso de ideias do AgriEmpreende

Projeto de biotecnologia para desenvolver o crescimento e a multiplicação de plantas vence concurso de ideias do AgriEmpreende

Iniciativa é promovida pelo Agrocluster e pelo InovCluster

3 de dezembro de 2018

Um método que permite produzir plantas de elevado valor acrescentado, a utilização de terrenos marginais para a produção de biomassa e remoção/controlo de espécies invasoras e snacks de fruta desidratada com sabor a Moscatel. São estes os três projetos vencedores da 2ª edição do Concurso de Ideias de Negócio do projeto AgriEmpreende, que recebeu 14 candidaturas no total. O projeto tem como entidade líder o Agrocluster e como copromotor o InovCluster.

A Bioexplant foi a grande vencedora do concurso. Trata-se de um projeto na área da biotecnologia vegetal que pretende utilizar diferentes métodos laboratoriais (micropropagação in vitro) e de crescimento como a hidroponia, com o objetivo de produzir plantas de elevado valor acrescentado. Relativamente ao processo laboratorial, a Bioexplant está a desenvolver um processo de produção baseado numa investigação científica, que tem permitido desenvolver o crescimento e a multiplicação de plantas através de bioreatores. Este método tem-se mostrado altamente eficiente, obtendo uma grande taxa de multiplicação e consequente crescimento no último ano e meio.

A CanaBogne, segunda classificada, utiliza terrenos marginais (seja por dimensão ou caracteristicas do solo ou relevo) para a produção de biomassa e para a remoção/controlo de espécies invasoras selecionadas. Tem como objetivos o controlo de erosão de solo, a aplicação de tecnologias de agricultura de precisão e a gestão de terrenos baldios.

O pódio fica completo pela empresa Sabor a Moscatel, que desenvolveu snacks de fruta desidratada com sabor a Moscatel, com base em fruta portuguesa das mais diversas variedades regionais.

Os três vencedores vão receber os seguintes prémios: 5000€ para o primeiro classificado, 3000€ para o segundo e 1000€ para o terceiro. Para além do valor monetário, o prémio inclui pré-incubação física para desenvolvimento do projeto em sistema de co-working por um período de 3 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras, e incubação física pós início de atividade em sistema de co-working reservado por um período de 6 meses na Startup Santarém ou no Cei – Centro de Empresas Inovadoras.

As candidaturas foram avaliadas pelo júri do Concurso, composto por Luis Farinha (Docente do Departamento de Gestão e Economia e Investigador NECE – Research Center in Business Sciences da UBI), Cristina Pintado (Responsável Técnico do Laboratório de Microbiologia e Responsável Técnico do Laboratório de Análise Sensorial do CATAA – Centro de Apoio Tecnológico Agroalimentar de Castelo Branco), Carlos Lopes de Sousa (Presidente da Direção do Agrocluster), Fernando Zuzarte Reis – (CEO da Sociedade Lusitana de Destilação, SA e Vice-presidente da Direção do Agrocluster) e António Fonseca Ferreira (ex-presidente da CCDR Lisboa e Vale do Tejo e CEO da Manual).

Segue-se agora um programa de aceleração para os projetos vencedores, que se juntam a outros empreendedores para esta ação a decorrer nas próximas quatro semanas, no CEI (Centro de Empresas Inovadoras), em Castelo Branco.
O projeto AgriEmpreende visa a criação e dinamização de uma estrutura técnica de apoio ao empreendedorismo que potencia a geração de ideias de negócio, a criação de novos produtos e novas empresas na fileira agroalimentar, especialmente ao nível do empreendedorismo qualificado e criativo.

→Consulte mais informações aqui←

É promovido pelo Agrocluster em parceria com o Inovcluster, financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

Comente este artigo
Anterior Workshop sobre empreendedorismo de base tecnológica no TERINOV - 6 de dezembro - Angra do Heroísmo
Próximo Previsiones negativas para el turismo rural en el puente de diciembre: descienden las reservas un 38.06%

Artigos relacionados

Sugeridas

Vacas há muitas. Portugal desconhece o impacto da carne que produz

A falta de dados sobre diferentes métodos de produção de carne de vaca dificulta a análise em torno dos impactos ambientais. […]

Candidaturas e pagamentos

PDR2020: Desenvolvimento do Regadio Eficiente – Estudos e projetos

Operação 3.4.1. Desenvolvimento do Regadio Eficiente | Estudos e projetos (2º Anúncio)
Aberto de 6 de Agosto de 2020 às 10:00 a 25 de Setembro de 2020 às 17:00 […]

Comunicados

Conservante natural sem toxicidade para vinhos vence distinção Born from Knowledge

O ChestWine, desenvolvido por uma equipa de investigadores do Instituto Politécnico de Bragança, é o vencedor […]