Programa “Conhecer Portugal” com 1500 bolsas de estudo para quem vá para o Interior

Programa “Conhecer Portugal” com 1500 bolsas de estudo para quem vá para o Interior

O objectivo é que estudantes de todo o país possam fazer trabalhos, projectos finais de curso, teses de mestrado ou doutoramento sobre o Interior de Portugal.

 

O ministro do Ensino Superior anunciou esta quarta-feira o lançamento do programa “Conhecer Portugal”, que vai atribuir 1.500 bolsas a estudantes que se desloquem para o Interior por períodos de três a seis meses.

 

Manuel Heitor disse à agência Lusa que o programa vai ser lançado no Conselho de Ministros de quinta-feira, que se realiza em Bragança, tem um orçamento de cinco milhões de euros e começa a ser aplicado em 2020.

O objectivo é “sobretudo facilitar mais bolsas para estudantes de todo o país virem fazer trabalhos, projectos finais de curso, teses de mestrado ou doutoramento sobre o Interior de Portugal”, afirmou.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explicou que serão atribuídas 1.500 bolsas, com o objectivo dos estudantes poderem estar “entre três a seis meses a trabalharem sobre problemas específicos de Portugal, do direito à engenharia, da computação à agricultura, da medicina à enfermagem”.

“Virem fazer trabalhos, projectos finais de curso, teses de mestrado ou partes do doutoramento no Interior do país e assim conhecendo o país podem, depois, vir planear a sua vida no Interior do país”, sustentou.

Este é, acrescentou, “mais um projecto que complementa os mecanismos que já existem como o “Mais Superior”.

O ministro falava à Lusa à margem de uma visita ao Instituto Politécnico de Bragança (IPB), onde acompanhou o primeiro-ministro e participou numa sessão de perguntas colocadas por vários estudantes. O ministro destacou que este ano, pela primeira vez, metade dos jovens com 20 anos residentes em Portugal está no ensino superior.

O executivo socialista está esta quarta-feira e quinta-feira no distrito de Bragança, no arranque da iniciativa “Governo mais próximo”, que inclui visitas à região de ministros e secretários de Estado e uma reunião do Conselho de Ministros, “cuja agenda é maioritariamente dedicada à valorização do interior”.

 

O artigo foi publicado originalmente em Público.

Comente este artigo
Anterior Reportagem: "O que é o jantar amanhã?"
Próximo Rendimento de trabalhadores agrícolas no Alentejo sobe 35 por cento em 10 anos

Artigos relacionados

Últimas

COTHN promove III Roteiro de Inovação na Feira dos Frutos

O COTHN está presente na Feira dos Frutos que teve início no passado dia 16 de Agosto com a apresentação de 10 Grupos Operacionais sob a forma de posters, […]

Dossiers

Oferta de emprego – Engenheiro Agrónomo ou Alimentar – Torres Novas

Empresa do ramo alimentar, frescos, sediada em Torres Novas, Distrito de Santarém […]

Últimas

Associados da OLIVUM oferecem à Cáritas azeite para confecionar 14.000 refeições

Os associados da OLIVUM – Associação de Olivicultores do Sul, no âmbito de uma campanha de recolha de alimentos lançada pela Cáritas Diocesana de […