Produção agrícola vegetal na Madeira é muito superior à média do país

Produção agrícola vegetal na Madeira é muito superior à média do país

[Fonte: Jornal Económico]

Traduz um crescimento de 14% em termos nominais face ao ano anterior. São dados acabados de divulgar pela Direção Regional de Estatística da Madeira que, munida dos números publicados Instituto Nacional de Estatística, também por esta altura, referentes aos elementos daquele ano, ainda que provisórios, das Contas Económicas da Agricultura Regionais, possibilitam, assim, a atualização da série com início em 1995, disponibilizada no portal da direção regional.

São elementos que permitem aferir que do total da produção agrícola regional de 2015, 84,5% foi proveniente da componente vegetal e 12,2% teve origem animal. As restantes parcelas derivaram de serviços agrícolas e atividades secundárias não agrícolas.

Em comparação com o país continental , evidencia que a nível nacional o peso da produção vegetal foi inferior, com 55,9%, embora se tenha revelado também mais preponderante que a parte animal, com 39,7%.

Voltando ao arquipélago, podemos apurar ainda que, desagregando a componente da produção vegetal, cujo total foi de 88,2 milhões de euros, verifica-se que as parcelas mais representativas foram as hortícolas frescas, com 23,9 milhões de euros, e os frutos subtropicais, com 17,8 milhões de euros. Curiosamente, na Madeira, a principal fatia da produção animal, cujo total foi de 12,7 milhões de euros, derivou da avicultura, que concentrou quase dois terços daquele total.

Os dados da Direção Regional de Estatística mostram também que à atividade agrícola está inerente a utilização de uma série de bens e serviços que constituem os consumos intermédios. Esta variável rondou os 39,9 milhões de euros em 2015, que representou mais 12,1% que em 2014. A diferença entre produção agrícola e consumo intermédio constitui o chamado Valor Acrescentado Bruto (VAB) agrícola. Em 2015, o VAB agrícola fixou-se em 64,5 milhões de euros, crescendo 15,2% em termos nominais entre 2014 e 2015.

Comente este artigo
Anterior Secretário da Agricultura limita-se a agenda de charme e cortesia
Próximo Há uma nova crise no Reino Unido: curgetes estão a desaparecer

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios florestais: a dura realidade

[Fonte: Público]
A época crítica ainda agora começou. São precisas respostas operacionais urgentes, pois vivemos sobre um barril de pólvora. […]

Nacional

Há um novo grupo global especializado em alimentação saudável

A Foodiverse é o novo grupo global especializado em alimentação saudável que vai substituir o Grupo Alimentario Citrus (GAC) como marca corporativa, reforçando o posicionamento […]

Nacional

Incêndios: Bombeiros combatem fogo com duas frentes na ilha da Madeira

O fogo teve início na Estrada da Corrida, na freguesia do Jardim da Serra, e continua com duas frentes ativas.
Foram mobilizados para o combate ao incêndio meios de dois corpos de bombeiros -Voluntários de Câmara de Lobos e Voluntários Madeirenses – […]