Presidente devolve ao parlamento diploma sobre Casa do Douro para “reflexão adicional”

Presidente devolve ao parlamento diploma sobre Casa do Douro para “reflexão adicional”

[Fonte: Observador] Presidente devolve ao parlamento diploma sobre Casa do Douro para “reflexão adicional”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai devolver ao parlamento o diploma da Casa do Douro, pedindo “reflexão adicional” sobre a sua restauração como associação pública, informou este sábado a Presidência da República.

“Visando solicitar à Assembleia da República uma reflexão adicional sobre a adoção da fórmula de associação pública, os seus contornos concretos e, em particular, o exercício de funções reservadas a entidades patronais e sindicais, o Presidente da República informou o presidente da Assembleia da República de que decidiu devolver, sem promulgação, o Decreto n.º 293/XIII, que restaura a Casa do Douro enquanto associação pública e aprova os seus estatutos”, segundo a nota divulgada online pela Presidência da República.

A Assembleia da República (AR) aprovou em 5 de abril um projeto de lei conjunto do PS, BE, PCP e PEV que restaura a Casa do Douro como associação pública de inscrição obrigatória e reverte a posse do edifício sede, em Peso da Régua, distrito de Vila Real, para a nova associação a ser criada. A legislação aprovada no parlamento foi contestada pelos representantes das áreas da produção e comércio no conselho interprofissional do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto (IVDP).

Os 22 conselheiros que representam as duas profissões com assento no órgão de gestão da região aprovaram por unanimidade um documento de “repúdio” da legislação aprovada e solicitaram à Assembleia da República e ao Presidente da República a “sua não promulgação por vícios de inconstitucionalidade e por criação de entorses insanáveis e prejudiciais na Região Demarcada do Douro”.

Criada em 1932 para defender os viticultores e a viticultura duriense na mais antiga região regulamentada e demarcada do mundo, a Casa do Douro foi perdendo atribuições até que a sua dimensão pública foi extinta em dezembro de 2014, no Governo PSD/CDS-PP, e a sua gestão entregue a uma organização privada, a Federação Renovação do Douro.

Comente este artigo
Anterior Presidente da República devolve diploma sobre Casa do Douro à Assembleia da República
Próximo Aumenta la demanda y los precios suben en el porcino de capa blanca

Artigos relacionados

Nacional

Projetos ligados ao mar com investimento de 2,8 milhões de euros na região Oeste

[Fonte: ECO]

Quarenta e três projetos ligados ao mar estão em desenvolvimento na região Oeste e representam um investimento de 2,8 milhões de euros, mas só cerca de metade vai receber fundos comunitários, anunciou esta sexta-feira a entidade gestora dos fundos. […]

Nacional

Inovação e eco-eficiência em PME do sector dos lacticínios. Ovibeja. 24 de Abril

[Fonte: Agricultura e Mar]
A “Inovação, eco-eficiência e segurança em PME´s do sector dos lacticínios” vai ser debatida na 36.ª Ovibeja, no primeiro dia do certame, a 24 de Abril. O encontro é da responsabilidade do Projecto Lacties.
36.ª Ovibeja, exposição agrícola, pecuária, […]

Nacional

Governo pede nova forma de calcular o risco de incêndio

Os fundos comunitários vão financiar uma nova Carta Nacional de Perigosidade de Incêndio com 300 mil euros. As candidaturas devem ser entregues até dezembro.

“Portugal continental tem um problema que não é o fogo em si mesmo, mas antes a forma como este se relaciona com a utilização que os cidadãos do território.” […]