Presidente de Câmara de Alcochete contra aumento do IVA na tauromaquia envia carta a Costa

O presidente da Câmara Municipal de Alcochete, na reunião de 5 de Fevereiro, deu conhecimento de que tinha enviado uma missiva ao primeiro-ministro, datada de 30 de Janeiro, a contestar a proposta de aumento do IVA para 23% nos espectáculos tauromáquicos, uma tomada de posição que obteve o apoio de todos os vereadores.

“Alcochete é um concelho muito sui generis e possui na sua identidade mais íntima um conjunto de tradições e percursos mas também inovações, num quadro de memória e respeito pelos nossos antepassados. É por isso contraditório com estas realidades, apoiarmos a imposição de uma cultura de gosto. A medida fiscal que o Governo do meu partido apresenta reveste-se de preconceito relativamente a uma vertente da cultura popular portuguesa, que deve ser respeitada mesmo por quem não a aprecia”, afirmou o socialista Fernando Pinto,  presidente da autarquia de Alcochete.

Tauromaquia: uma actividade cultural

“Continuaremos, e continuarei, a defender a liberdade de escolha e de acesso aos espectáculos em igualdade de circunstâncias; continuaremos, e continuarei, a defender, tal como previsto na lei, que a tauromaquia constitua uma actividade cultural, sendo parte integrante do património da cultura portuguesa e, no caso em concreto de Alcochete, em que a tauromaquia está classificada como Património Cultural e Imaterial de Interesse Municipal”, acrescentou Fernando Pinto.

Na carta enviada ao primeiro-ministro, o autarca considera que “a proposta de subida do IVA nos espectáculos tauromáquicos para 23% fere de morte o princípio de igualdade no que respeita ao direito de acesso aos bens e serviços culturais”. “Alcochete está localizada num território onde a tauromaquia é uma marca cultural e está inscrita no ADN identitário do território e das gentes, uma tradição que não se impõe, mas que apenas pede respeito”, acrescenta.

“Importância histórica da nobre arte de pegar toiros”

No encerramento da reunião de Câmara, o autarca voltou a realçar “a importância histórica da nobre arte de pegar toiros, essa forma diferente de viver a vida com base nos usos e costumes de antigamente e preservando aquilo que de mais genuíno possuímos e que assenta neste trabalho com o gado por via da forcadagem”.

Fernando Pinto destacou ainda que Alcochete tem “dois dos mais valorosos grupos de forcados do País” e que no próximo dia 7 de Março, às 16 horas, se realiza um festival taurino na Praça de Toiros de Alcochete, cujas receitas revertem para apoio ao Grupo Desportivo Alcochetense.

Pode ler na íntegra a tomada de posição da Câmara Municipal de Alcochete sobre aumento do IVA na tauromaquia aqui.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Incêndios: PSD/Madeira quer que Estado pague helicóptero de combate na região
Próximo Valorfito apresenta novo website

Artigos relacionados

Últimas

Capoulas Santos decide criar órgão consultivo do próprio ministro no âmbito da PAC

“Tenciono, a muito curto prazo, constituir um ‘órgão’ de acompanhamento e aconselhamento do Ministro que permita contribuir para a formulação e adaptação da posição nacional sobre o futuro da PAC, […]

Nacional

Chegámos a Setembro? Sim. Mas, queimadas proibidas até dia 30

Estamos já no mês de Setembro. E o calor continua a apertar. A verdade é que continuamos ainda em período crítico de incêndios rurais, […]

Notícias inovação

TOP3 – Atelier de Inovação da Produção Animal

Conheça o TOP3 dos projectos elegidos pelos participantes no Atelier de Inovação da Produção Animal, no dia 18 de Julho:
→CFD4CHEESE←
→Imunocastração em porco alentejano←
→Valrumeat←

Consulte mais informação sobre o atelier da produção animal aqui. […]