Preparado? Apanha de pinha de pinheiro-manso arranca a 1 de Dezembro. Registo obrigatório no ICNF

A época de colheita de pinhas de pinheiro manso, em Portugal continental, está quase a chegar. Arranca a 1 de Dezembro (inclusive) e prolonga-se até ao dia 31 de Março de 2020. Nos restantes meses do ano (desde Abril a Novembro) é proibida a colheita de pinhas de pinheiro manso.

O ICNF — Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas alerta que o regime jurídico aplicável à colheita, transporte, armazenamento, transformação, importação e exportação de pinhas da espécie Pinus pinea L. (pinheiro-manso) em território continental foi aprovado pelo Decreto-Lei n.º 77/2015, de 12 de Maio, e entrou em vigor a 10 de Agosto de 2015.

Registo obrigatório

E relembra que a colheita, transporte, armazenamento, transformação, importação e exportação de pinhas de pinheiro-manso estão sujeitos à comunicação prévia obrigatória ao ICNF.

A comunicação prévia é realizada através da “declaração de pinhas” e o registo de operador económico são submetidos por via electrónica, através do Sistema de Informação da Pinha de Pinheiro-manso (SiP).

Pode aceder ao SiP aqui. Deverá consultar o respectivo Manual do Utilizador aqui.

Excepções

Estão dispensados da comunicação prévia a colheita, transporte, armazenamento, transformação, importação e exportação de pinhas de pinheiro-manso até ao limite de 10 quilogramas de peso, desde que exclusivamente destinadas a auto-consumo.

Para mais informações clique aqui.

Cotações

Relembre-se que a pinha de pinheiro manso é, normalmente, vendida, no produtor, a cerca de 1 euro o kg. Geralmente convenciona-se que 4 pinhas é = a 1 kg.

Por outro lado, a cotação do pinhão, a 4 de Novembro de 2019, estava a um valor médio de 51 euros por quilograma, no mercado do Alentejo Litoral. A cotação máxima ascendia a 53 euros.

Fonte: Plataforma electrónica de transacção da pinha da APFC — Associação de Produtores Florestais do Concelho de Coruche e Limítrofes

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar .

Anterior Ven “inaceptable” la rebaja del 11% de la PAC 2021 porque se tenga una “una PAC vieja con un presupuesto nuevo”
Próximo Apoio à armazenagem privada de azeite

Artigos relacionados

Nacional

Há uma centena de estrangeiros interessados em investir no património português

O apetite dos investidores pelo património imobiliário nacional está a crescer. No âmbito do Revive, programa que dá uma segunda vida a património devoluto, […]

Últimas

Há um novo Grupo a operar no agrobusiness

O lançamento do grupo Rovensa, o novo nome da Sapec Agro Business, ocorreu na segunda semana de setembro com a participação de mais de 400 participantes de 20 países nos 5 continentes. […]

Últimas

Moniliose na cerejeira. Atenção à chuva no final da floração

As cerejeiras estão em plena floração, verificando-se já o início da queda das pétalas.
Esta fase do desenvolvimento da cerejeira é […]