Praga de gafanhotos na Etiópia deixa um milhão de pessoas em emergência alimentar

Praga de gafanhotos na Etiópia deixa um milhão de pessoas em emergência alimentar

Os dados constam de um estudo conjunto da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e do governo da Etiópia e foram divulgados numa altura em que se prevê a chegada àquela região de África de novos enxames de gafanhotos com um potencial ainda mais devastador, segundo os especialistas.

De acordo com a FAO, um “aumento massivo” do número de gafanhotos na região representaria “uma ameaça sem precedentes para a segurança alimentar e os meios de subsistência das populações” à medida que se aproxima a época das colheitas.

Surgidos após a chuvas abundantes dos últimos meses, milhares de gafanhotos invadiram a região oriental de África, causando danos significativos na Etiópia, Somália, Quénia, Djibuti, Eritreia, Tanzânia, Sudão, Sudão do Sul e Uganda.

Na Etiópia, estes insetos devastaram as plantações de sorgo, milho e trigo e limitaram em muito as áreas de pastagem disponíveis, informou a FAO.

De acordo com a mesma organização, 75% dos etíopes precisam agora de ajuda alimentar de emergência sobretudo nas regiões de Somali (leste) e Oromia (centro e sul).

Segundo a representante da FAO na Etiópia, Fatouma Seid, os esforços para conter a catástrofe, incluindo o envio de alimentos ou dinheiro para os agricultores e pastores, estão agora também a ser complicados pelas medidas de luta contra a pandemia de covid-19.

“Enquanto nos esforçamos por controlar os gafanhotos, é vital proteger os meios de subsistência das populações afetadas, especialmente agora que a situação está a ser exacerbada pela crise da covid-19”, afirmou.

  A Etiópia registou oficialmente 74 casos de infeções pelo coronavírus, mas o país realizou ainda muito poucos testes e os especialistas receiam que o sistema de saúde não tenha capacidade de resposta se houver um afluxo de pessoas doentes.

CFF // PJA

O artigo foi publicado originalmente em Visão.

Comente este artigo
Anterior COVID-19 | Vacina com plantas geneticamente modificadas estará disponível em novembro de 2021
Próximo Covid-19: Produtores querem vender às grandes superfícies e novamente nos mercados

Artigos relacionados

Últimas

Uma alheira para doentes e atletas? Mirandela tem

À primeira vista até pode parecer uma contradição, dado tratar-te de um produto fumado, gordo e salgado, mas, a verdade é […]

Nacional

“Empreendedorismo é fundamental para o desenvolvimento das zonas rurais”

Quais são as maiores fragilidades e os maiores desafios das zonas rurais e costeiras das ilhas Terceira e Graciosa?
As fragilidades estão relacionadas com uma baixa densidade populacional e uma população cada vez mais envelhecida; […]

Últimas

Gestão do fundo de apoio ao setor da lã passa para a ACOS

O Governo vai transferir a competência de gestão do Fundo de Apoio à Organização do Setor da Lã para a ACOS – […]