Portugal produziu 4,1 mil toneladas de alimentos compostos para animais em 2018

[Fonte: Agricultura e Mar]

A DGAV — Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária acaba de divulgar o relatório anual relativo à Produção Nacional de Alimentos Compostos para Animais, referente ao ano de 2018. Durante o ano passado foi produzido um total de 4.147.190 toneladas de alimentos compostos.

O relatório da DGAV não apresenta os dados relativos ao ano de 2017. No entanto, segundo os dados da IACA – Associação dos Industriais de Alimentos Compostos para Animais, em 2018, a produção de alimentos compostos associada na IACA registou um incremento de 2,5%, o que ficou a dever-se ao crescimento nos alimentos para bovinos (3,0%) e outros animais (18,0%), face a uma relativa estagnação na produção de alimentos para aves (0,8%) e a um ligeiro decréscimo nos suínos (-1,4%).

185 fabricantes

Já o relatório da DGAV diz existir um total de 185 de fabricantes nacionais de alimentos compostos activos durante o ano passado e que para os dados apresentados foram recepcionadas comunicações de 166 operadores do sector dos alimentos para animais responsáveis pelo fabrico de alimentos compostos para animais, distribuídos por 125 industriais e 41 auto produtores. A percentagem de respostas foi de 90%.

Segundo os últimos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), relativo a 2016, a produção de alimentos compostos a nível nacional representa cerca de 11,5% do valor de negócio da agro-indústria nacional, correspondendo a 15% do valor de 12,6 mil milhões de euros referentes a toda a indústria nacional.

Sector avícola lidera

Ainda de acordo com os dados da IACA, ao nível da estrutura da produção, a liderança do mercado continua a pertencer ao sector avícola, com cerca de 44% da produção de alimentos compostos, seguindo-se os bovinos e suínos com uma grande proximidade (23% e 22% respectivamente), e os outros animais a reforçarem a sua quota de penetração no mercado, atingindo-se os 11%.

“A par da tendência para a especialização, alguma concentração da actividade e resiliência do mercado livre, estas foram as principais características do mercado nacional em 2018, ainda condicionado pelo impacto da seca nos ruminantes, sobretudo nos primeiros meses”, refere fonte institucional da IACA.

Sector de relevo na UE

Explica o o relatório anual relativo à Produção Nacional de Alimentos Compostos para Animais que a produção animal “ocupa um lugar de destaque no sector agrícola” da União Europeia.

Segundo os últimos dados do Eurostat de 2017, a UE com os seus 28 Estados-membros, tem cerca de 11 milhões de explorações agrícolas/pecuárias, que empregam regularmente 22 milhões cidadãos. Todo o sector alimentar envolve 44 milhões postos de trabalho.

A carne e outros produtos de origem animal na UE-28 representaram naquele ano um valor aproximado de 176 mil milhões de euros, ou seja, 41% do valor total da produção agropecuária.

488 milhões de toneladas de alimentos na UE

A alimentação animal é o factor de maior impacto em produção pecuária, tendo em 2017 representado 60% dos custos em avicultura. Para a alimentação dos animais de criação produtores de géneros alimentícios, foram utilizados em 2017 na UE-28, cerca de 488 milhões de toneladas de alimentos, distribuídos entre alimentos grosseiros (50%), cereais produzidos a nível da UE (10%), alimentos para animais adquiridos em mercados externos (10%) e alimentos compostos produzidos pelos fabricantes da UE (30%).

Pode consultar o relatório completo aqui.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo Portugal produziu 4,1 mil toneladas de alimentos compostos para animais em 2018 foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior DGAV: Produção Nacional de Alimentos Compostos para Animais - Relatório 2018
Próximo AGRO-INOVAÇÃO 2019 - Workshops Regionais de Inovação na Agricultura no Cartaxo e Vila Real

Artigos relacionados

Nacional

Governo limita fracionamento de terras para acabar com “floresta caótica”

[Fonte: O Jornal Económico]

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, explicou hoje que os limites impostos ao fracionamento das propriedades florestais pretendem acabar com uma “floresta caótica, […]

Últimas

Quatro fogos em Castelo Branco, Santarém e Vila Real são os que mais preocupam

Lisboa, 10 ago (Lusa) — Os incêndios nos distritos de Santarém, Castelo Branco e Vila Real são aqueles que continuam a merecer mais atenção da parte da Proteção Civil, […]

Nacional

Veterinários dizem que contacto com javalis não representa risco de doença mas carne deve ser inspecionada

[Fonte: SAPO 24]
O bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, Jorge Cid, diz que há um risco “iminente” de os javalis serem portadores da peste suína africana, […]