Portugal Fashion sem datas previstas para novos apoios

Portugal Fashion sem datas previstas para novos apoios

O Portugal Fashion, plataforma de promoção de moda portuguesa, está a trabalhar com verbas do biénio 2017-2018, porque as datas de candidatura aos apoios comunitários não são conhecidas, disse hoje fonte da estrutura.

“O Portugal Fashion 2019-2020 está a trabalhar com o orçamento de 2017-2018 e de momento não há informações sobre quando está previsto uma data para nova candidatura a fundos europeus”, disse à Lusa Mónica Neto, responsável pelo projeto do Portugal Fashion.

O Portugal Fashion é um projeto da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), desenvolvido em parceria com a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), e cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização – Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

O Portugal Fashion 2019-2020 está a trabalhar com o orçamento de 2017-2018 e de momento não há informações sobre quando está previsto uma data para nova candidatura a fundos europeus

Mónica Neto

Responsável pelo Portugal Fashion

Segundo Mónica Neto, até ao momento não há informações sobre prazos de candidatura a fundos europeus.

“Estamos à espera que abra uma nova candidatura e aí é que é lançado o bolo total a dividir e nós teremos de perceber qual é o teto e como é que vamos poder trabalhar no futuro”, explicou, acrescentando que neste momento o Portugal Fashion está a desenvolver um plano de atividades para 2019, com “uma ambição grande”, mas a “aguardar para perceber quais os ajustes” que têm de ser feitos.

Os apoios comunitários que o Portugal Fashion destinam-se, por exemplo, à organização de edições de promoção da moda portuguesa e eventos em Portugal, mas também em várias semanas de moda internacionais, bem como para participar em feiras nacionais e internacionais.

No biénio 2017-2018 registou-se um “atraso de vinda de verbas dos fundos europeus

A candidatura anterior do biénio 2017-2018 teve “algum atraso na decisão de aprovação”, o que obrigou o Portugal Fashion a gerir esse “impasse” com reprogramações.

“Neste momento estamos a trabalhar com uma reprogramação que eram as atividades programadas em final de 2017 e aguardamos que novas oportunidades surjam para trabalhar na próxima candidatura e no próximo projeto”, disse Mónica Neto.

Sobre o acordo assinado recentemente entre o Portugal Fashion e a Moda Lisboa, a responsável do projeto do Portugal Fashion disse que o objetivo é trabalhar para um bem comum, ou seja “para a promoção da moda nacional” e com as ferramentas que possam levar mais longe a mensagem de que Portugal não é apenas um país de produção nacional, mas também um país com ‘designer’ com criatividade.

“As plataformas Moda Lisboa e Portugal Fashion têm entre si algumas diferenças, mas também muitos pontos complementares e é nesse sentido que se tem vindo a trabalhar. Há uma vontade grande e há já uma aproximação e há conversas que se têm tido e há sinergias e há projetos”, concluiu.

O Portugal Fashion vai levar uma marca de Lisboa – a Ernet W Baker – à próxima semana da moda de Paris (França), onde o ‘designer’ Hugo Costa vai apresentar no dia 16 de janeiro a sua nova coleção outono/inverno 2010 e o jovem criador David Catalán vai estar no dia 17, avançou a mesma responsável.

A 11 de setembro de 2018 houve uma cerimónia de assinatura do protocolo entre as duas plataformas que decorreu na Casa da Arquitetura, em Matosinhos (Porto), onde o primeiro-ministro, António Costa classificou o acordo como o “início de namoro assinado” e que era “muito importante para o país”, designadamente para ajudar a alavancar as exportações portuguesas até 2030, cuja meta traçada é chegar aos 50% do Produto Interno Bruto (PIB).

“Porque o país tem feito um esforço muito grande de alterar o seu perfil económico e o seu perfil de internacionalização. Em 2005, as exportações portuguesas eram cerca de 27% do PIB, no ano passado já foram 43% do PIB e temos de ter a ambição coletiva de chegar a 2030 a ser, pelo menos, 50% do nosso PIB”, declarou na altura o primeiro-ministro.

Os signatários – Eduarda Abbondanza, presidente da Associação Moda Lisboa, e Adelino Costa Matos, presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), entidade organizadora do Portugal Fashion – comprometeram-se, no acordo, a reunir-se “regularmente” para promover a troca de informações entre si e delinear uma “agenda de trabalhos”.

O artigo foi publicado originalmente em ECO - fundos comunitários.

Comente este artigo
Anterior Se frenan los descensos en los precios en origen de aceite de oliva
Próximo Casa Eficiente só celebrou 300 mil euros em contratos. Caixa vai rever condições do programa

Artigos relacionados

Nacional

Comer feijoada é bom para perder peso?

[Fonte: Publico]Portugueses comem menos leguminosas do que o recomendado. Universidade de Lisboa organiza nesta quinta-feira uma conferência para discutir como será possível aumentar o consumo e a produção. […]

Blogs

Qual a idade das florestas em Portugal e na Europa? E a sua saúde?

Em Portugal, a idade das florestas situa-se, na maioria dos casos, entre os 20 e os 80 anos, uma tendência em linha com a Europa. Em termos de […]

Dossiers

Previsão para a semana 12-18 Abril.

“Semana com períodos de chuva, trovoadas e possibilidade de fenómenos adversos.” […]