Petição europeia quer medidas para salvar abelhas e agricultores

Petição europeia quer medidas para salvar abelhas e agricultores

Uma petição lançada por mais de cem associações europeias e que já foi assinada por mais de 270 mil europeus pede à Comissão Europeia medidas para eliminar pesticidas e restaurar a biodiversidade, para salvar as abelhas e os agricultores.

A petição tem o apoio da associação ambientalista portuguesa Liga para a Proteção da Natureza (LPN), que em comunicado explica que o documento deverá chegar a um milhão de assinaturas até ao fim de setembro, para que a Comissão Europeia proponha legislação destinada a eliminar progressivamente os pesticidas sintéticos, até 2035.

Ao mesmo tempo os subscritores da moção querem que seja restaurada a biodiversidade e que os agricultores sejam apoiados na fase de transição.

Na base da petição, diz a LPN no comunicado, está a constatação de que as abelhas e outros polinizadores estão atualmente em declínio, pondo em risco a produção de alimentos.

“A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) estima que cerca de 87% das principais cultivares a nível mundial depende de polinizadores para frutificar, como as abelhas e outros insetos, aves e mamíferos”, diz a LPN, alertando que “estes aliados naturais dos agricultores estão em franca regressão por todo o globo”.

Na Europa, diz a LPN, 30% das populações de abelhas e borboletas selvagens estão a diminuir, o mesmo acontecendo com as abelhas geridas (das colmeias), que têm sofrido perdas devido nomeadamente a doenças.

“O declínio de espécies selvagens e geridas está associado à intensificação da agricultura, com o aumento de áreas de monocultura e eliminação de zonas naturais, ao uso excessivo de pesticidas como os neonicotinóides, e às alterações climáticas, que baralham os polinizadores alterando as épocas de floração”, diz a LPN, alertando que a alimentação humana depende da saúde das populações de polinizadores.

Uma das soluções, defende a Liga, passa por reforçar as infraestruturas ecológicas na agricultura, como o estabelecimento de áreas seminaturais que sirvam de habitat aos polinizadores, além de encontrar alternativas aos pesticidas.

O artigo foi publicado originalmente em SAPO 24.

Comente este artigo
Anterior Ministério da Agricultura lança campanha “Alimente quem o Alimenta” - consumindo produtos locais
Próximo Now Report - Pastores (Miguel Rodrigues)

Artigos relacionados

Últimas

«Estamos a fazer um grande estudo sobre a logística em Portugal»

Dados desactualizados e muito sectoriais levaram a Associação Portuguesa de Logística a avançar com uma recolha precisa de números estatísticos do sector. […]

Últimas

Lóbi agroindustrial quer desviar Política Agrícola Comum dos objetivos ‘verdes’ europeus – ONG

Uma organização não governamental europeia acusou hoje o lóbi da indústria agropecuária de querer desviar a Política Agrícola Comum (PAC) dos objetivos definidos no Pacto Ecológico […]

Comunicados

Não, Senhora Ministra! Continua a não estar tudo bem no Sector Agrícola

Assistimos ontem, 10 de Novembro, no âmbito da discussão do Orçamento do Estado para 2021 na Assembleia da República, ao ensaiar da já velha teoria do “oásis na Agricultura”, por parte da […]