Peste Suína Africana – Medidas de prevenção

Peste Suína Africana – Medidas de prevenção

Atendendo ao agravamento da situação epidemiológica da Peste Suína Africana (PSA) na Europa e na Ásia pelo aparecimento de focos em suínos domésticos pela primeira vez na Grécia e na Indonésia, esta Direção Geral emitiu a nota informativa n.º 1/2020/PSA.

Plano de Ação para a Prevenção da Peste Suína Africana (PSA) 2019-2021 – medidas preventivas

A situação epidemiológica da Peste Suína Africana (PSA) na Europa e no mundo, em especial na Ásia continua a agravar-se quer por esta doença estar a afetar novas regiões, quer por que se aproxima o período do pico da PSA decorrente do incremento das atividades cinegéticas.

As situações mais relevantes são as seguintes:

  1. As autoridades veterinárias da Grécia notificaram a 5 de fevereiro deste ano, pela primeira vez um foco de PSA em suínos domésticos numa exploração caseira com 32 suínos em Nikoklia village, Vissaltia Municipality, Serres no Norte daquele estado membro;
  2. Na Polónia a situação da PSA agravou-se a 14 de novembro de 2019 com a confirmação de javalis positivos à PSA, perto da fronteira com a Alemanha. Desde a data da primeira confirmação até ao dia 13 de Fevereiro 2020 foram notificados nesta nova zona infetada 84 casos (2019) e 154 casos (2020). Continuam ainda a ser reportados casos de PSA em javalis nas restantes áreas infetadas da Polónia;
  3. As autoridades veterinárias da Hungria também continuam a notificar um grande número de casos de PSA em javalis. Foram notificados 566 casos desde o início deste ano até esta data;
  4. Também na Bulgária a situação epidemiológica da PSA continua a agravar-se. Desde o início de 2020 até à presente data foram notificados 207 casos em javalis e 9 focos em suínos domésticos;
  5. Na Roménia a situação da PSA continua grave. Desde o início do ano até esta data foram notificados 131 focos em suínos domésticos e 244 casos em javalis;
  6. Também têm ocorrido casos em javalis desde o dia 1 de janeiro deste ano até à presente data na Bélgica (1), Eslováquia (15), Estónia (12), Letónia (61), Lituânia (49) e Itália (32)
  7. Continuam ainda a ser notificados casos em javalis e focos em suínos domésticos na Federação Russa, Moldávia, República da Sérvia e na Ucrânia perto das zonas de fronteira com a União Europeia
  8. Na Ásia a PSA continua a disseminar-se pela República Popular da China, Mongólia, Vietname, Camboja, Coreia do Norte, Laos, Myanmar, Filipinas, Coreia do Sul, Timor Leste e Indonésia

No âmbito do Plano de Ação e Prevenção da Peste Suína Africana 2019-2021, aprovado pelo Despacho n.º 5608/2019 de 29 de maio, a Direção Geral de Alimentação e Veterinária solicita aos produtores, comerciantes, industriais, transportadores, caçadores, médicos veterinários e de quem lida com os efetivos de suínos e com as populações de javalis para que reforcem as medidas preventivas abaixo indicadas:

1 – A correta aplicação das medidas de biossegurança nas explorações, nos centros de agrupamento e entrepostos;
2 – A apropriada aplicação das medidas de biossegurança nos transportes, nomeadamente no respeitante à limpeza e desinfeção dos veículos que transportam os animais;
3 – A adequada aplicação das boas práticas no ato da caça;
4 – A correta aplicação das medidas de biossegurança ao viajar para fora do país para caçar e com os troféus de caça oriundos de outros países;
5 – A proibição da alimentação de suínos com lavaduras (art.º 23.º Decreto-lei n.º 143/2003 de 2 de julho) e com restos de cozinha e mesa ou matérias que os contenham ou deles derivem (alínea b) art.º 11 do Regulamento n.º 1069/2009 de 21 de outubro);
6 – Não deixar restos de comida acessíveis a javalis, colocando-os sempres em caixote de lixo protegidos dos animais selvagens,
7 – O adequado encaminhamento e destruição dos subprodutos animais em conformidade com o Regulamento n.º 1069/2009 de 21 de outubro;
8 – A exigência de todos os intervenientes reportarem qualquer ocorrência ou suspeita de PSA bem como aumentos anormais na mortalidade nas populações de javalis (art.º 3.º do Decreto-lei n.º 267/2003 de 25 de outubro), aos serviços regionais e locais da DGAV (os contatos dos serviços, os nomes, telefones e endereços eletrónicos estão no portal da DGAV: Portal DGAV Página Planos de contingência contactos).

Fernando Bernardo
Diretor-Geral de Alimentação e Veterinária

→ Mais informações ←

Comente este artigo
Anterior Oferta de emprego - Engenheiro Agrónomo ou Florestal - Lisboa
Próximo A neutralidade carbónica e a PAC pós-2020 - Francisco Avillez

Artigos relacionados

Eventos

VIII Feira da Maçã Reineta – 30 de outubro a 1 de novembro – Sintra

Fontanelas recebe a VIII Feira da Maçã Reineta, iniciativa que pretende promover este fruto, nos dias 30, 31 de outubro e 1 de novembro […]

Nacional

Casa Relvas. Uma história de pai e filhos que tornaram um negócio familiar em vendas de mais de 10 milhões de euros

Nascida há cerca de 20 anos, a Casa Relvas já é um produtor de vinhos de referência no Alentejo e negócio de sucesso, […]

Sugeridas

Un pas de plus vers l’interdiction des phytos sur les SIE

La Commission européenne entend interdire l’usage des produits phytosanitaires sur les surfaces d’intérêt écologique, notamment sur les SIE productives utilisées pour la production de protéines. […]