Pedrógão Grande já é o maior incêndio de sempre em Portugal

O EFFIS, do Centro de Investigação Comum da Comissão Europeia, que apresenta as áreas ardidas cartografadas em imagens de satélite (com uma resolução espacial de 250 metros), mostra que o incêndio que começou em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, e alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, tinha até hoje 25.969 hectares de área ardida.

Em 2016, o incêndio que começou em Arouca, no distrito de Aveiro, e evoluiu para o concelho de S. Pedro do Sul, em Viseu, consumiu 21.910 hectares e foi aquele que registou a maior área ardida no ano passado, segundo dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Os dados estimados nesta tragédia na vila de Pedrógão Grande ultrapassam os dos incêndios de 2012 em Tavira, e de 2003 na Chamusca, os dois maiores fogos até hoje em Portugal.

O fogo de Cachopo, em Tavira, em Julho de 2012, passa agora a ser o segundo maior, com 24.843 hectares de área ardida, seguido pelo de Ulme, na Chamusca, que destruiu 22.190 hectares.

O último balanço do fogo que começou no concelho de Pedrógão Grande dá conta de 63 mortos civis e 135 feridos.

Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

Este incêndio alastrou também para os distritos vizinhos de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã, e Coimbra, pelo município de Pampilhosa da Serra.

Segundo o EFFIS, que através de imagens de satélite contabiliza quase em tempo real a área ardida, o fogo no concelho da Pampilhosa da Serra consumiu 7.310 hectares, enquanto o incendio da Sertã tem 481 hectares de área ardida.

Comente este artigo
Anterior CNA reclama “medidas excecionais” para “situação excecional” em Pedrógão Grande
Próximo Adega Mayor premiada em vários concursos nacionais e internacionais

Artigos relacionados

Últimas

Concerto solidário rendeu um milhão e cento e cinquenta e três mil euros

[Fonte: Correio da Manhã]

O concerto “Juntos por Todos”, que decorreu na passada terça-feira em solidariedade com as vítimas dos fogos florestais, angariou um 1.153 mil euros, revertendo a favor da União de Misericórdias Portuguesas para reforçar o apoio às populações afetadas. […]

Nacional

Mafalda Duarte, a portuguesa gere um fundo de sete mil milhões de euros

[Fonte: Rádio Renascença]

Há portugueses a investir em energia limpa nos países mais pobres, avança à Renascença Mafalda Duarte, que gere um fundo ambiental do Banco Mundial de quase sete mil milhões de euros.
O cargo obriga Mafalda Duarte a viver em Washington e a andar sempre em viagem. […]

Últimas

“Fatores Críticos na Rentabilidade do Pinheiro Bravo”

[Fonte: Voz do Campo]
A UNAC – União da Floresta Mediterrânica vai realizar, no próximo dia 19 de junho em Castelo Branco, no CEI – Centro de Empresas Inovadoras o Workshop “Fatores Críticos na Rentabilidade do Pinheiro Bravo”.
Enquadrado num ciclo de transferência de conhecimento “+ Conhecimento/ha”, […]