PAN requer audição conjunta aos Ministérios da Saúde, Ambiente e Agricultura sobre más práticas em explorações pecuárias

PAN requer audição conjunta aos Ministérios da Saúde, Ambiente e Agricultura sobre más práticas em explorações pecuárias

Face à urgência de conhecer aprofundadamente a Estratégia Nacional para os Efluentes Agropecuários e Agroindustriais (ENEAPAI 2030), o Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas – Animais – Natureza requereu hoje a realização, com caráter de urgência, de uma audição conjunta ao Ministro do Ambiente e da Ação Climática, à Ministra da Saúde e à Ministra da Agricultura.

A líder do Grupo Parlamentar do PAN, Inês de Sousa Real, visitou hoje, acompanhada de um grupo de moradores da freguesia de Póvoa da Isenta e da associação Protejo, o local onde uma exploração pecuária (suinicultura) descarrega os seus efluentes, entre eles cadáveres de animais. Em causa estão preocupações ambientais e de saúde pública, bem como questões relacionadas com as licenças da referida suinicultura, uma vez que a mesma funciona com licenças provisórias há pelo menos 37 anos.

Após esta visita, e para além dos requerimentos submetidos, Inês de Sousa Real afirmou ainda que o Grupo Parlamentar do PAN irá questionar o Governo relativamente às moratórias para a regularização das explorações pecuárias e à parca fiscalização existente, incluindo nesta exploração, bem como trabalhar numa iniciativa legislativa que vise dar uma resposta a esta problemática a nível nacional.

Moradores e associações ambientais há muito que reivindicam medidas que coloquem termo a este atentado ambiental a céu aberto. É incompreensível a forma como as suiniculturas seguem impunes no nosso país sem que exista a devida fiscalização, quer ambiental, quer de saúde pública, ou ainda ao nível do bem-estar animal. Basta ver o exemplo desta suinicultura, que viola a legislação e opera há 37 anos com uma licença provisória e com sucessivas licenças provisórias “, afirma Inês de Sousa Real.

As consequências na qualidade de vida da população são evidentes, desde logo devido aos constantes maus odores, mas também devido à poluição dos lençóis freáticos que coloca em risco a saúde das pessoas, a sua qualidade de vida e o próprio ecossistema local. O Estado e as autarquias locais não podem continuar a compactuar com este tipo de situações que, infelizmente, se replicam por todo o país“, conclui.

Nota enviada pelo PAN.

Comente este artigo
Anterior Tejo Energia quer investir 900ME para converter central do Pego à produção de energia verde
Próximo Live: CEN PSD - Renovar a Agricultura: a política a seguir para os Jovens Agricultores

Artigos relacionados

Últimas

Trade and climate change increase pest threat to Europe’s forests

Pests are responsible for damaging 35 million hectares of forest around the world every year. In the Mediterranean region alone an area the size of Slovakia – […]

Dossiers

PSD questiona Comissão Europeia sobre apoios ao setor do vinho

Os eurodeputados do PSD, Álvaro Amaro, José Manuel Fernandes, Graça Carvalho e Cláudia Monteiro de Aguiar questionaram a Comissão Europeia sobre os apoios […]

Dossiers

Agricultura: Governo apoia rebanhos para prevenir fogos

[Fonte: Reconquista]
No distrito de Castelo Branco há cerca de 60 freguesias elegíveis a estes apoios.
O Ministério da Agricultura vai disponibilizar cinco milhões de euros para projetos de gestão de combustível florestal com recurso à pastorícia, […]