“Os agricultores não aplicariam um único fitofármaco se conseguissem produzir sem eles”.

“Os agricultores não aplicariam um único fitofármaco se conseguissem produzir sem eles”.

Sara Martins tem 36 anos, formou-se em agronomia e voltou à Enxabarda, no concelho do Fundão, onde se instalou como jovem empresária agrícola num projeto com 11 hectares de cerejeira.

Quando questionada sobre que dificuldades enfrenta no seu dia a dia admite que a retirada de substâncias ativas do mercado está a tornar mais difícil fazer os tratamentos necessários para que a fruta mantenha os padrões de qualidade.

Acredita que a sociedade deveria estar melhor informada sobre o impacto que a presença de um nível mínimo de resíduos pode ter para o consumidor pois em seu entender é mínimo, até comparado com outros comportamentos que temos diariamente.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Anterior Mil genomas do melão. Conhecer o passado para melhorar o futuro
Próximo Glifosato, o herbicida, volta ao Parlamento com o BE, PEV e PAN

Artigos relacionados

Eventos

Seminário GS1 Portugal de Supply Chain: Gestão 4.0 com Inovação e Sustentabilidade – 5 de março – Lisboa

A GS1 Portugal organiza a 1ª edição do Seminário de Supply Chain, subordinado ao tema “Gestão 4.0 com Inovação e Sustentabilidade”. O […]

Nacional

RTA e a DRAP Algarve reúnem para dinamizar a distribuição de produtos locais

[Fonte: Rede Rural Nacional] A Região de Turismo do Algarve e a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve, […]

Ofertas

Oferta de Emprego – Estágio em Agronomia – Alentejo

A Driscoll´s Portugal oferece um estágio de 6 meses.