“Os agricultores estão desesperados.” Caudal do Tejo em níveis mínimos desde sexta-feira

“Os agricultores estão desesperados.” Caudal do Tejo em níveis mínimos desde sexta-feira

A Associação dos Agricultores de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação, no distrito de Santarém, defende que Espanha deveria injetar um “caudal diário, e não um caudal semanal obrigatório”, e que a situação já “está a causar problemas graves” nas culturas.

O nível das águas do Tejo, no troço entre Abrantes e Constância, atingiu valores mínimos na sexta-feira e desde então ainda não recuperou. Os agricultores reivindicam que Espanha não está a libertar a água da barragem de Alcântara, e que já há culturas em risco.

Luís Damas, presidente da Associação dos Agricultores de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação, no distrito de Santarém, explicou à TSF que, “desde sexta-feira, o caudal do rio Tejo é muito diminuído, e as captações de água das explorações que estão adjacentes ao rio não conseguem captar água”.

O responsável diz tratar-se de “um problema grave”, porque “há culturas que não podem estar tanto tempo sem

Continue a ler este artigo na TSF.

Comente este artigo
Anterior Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo lança campanha na Feira de Agricultura
Próximo “Podemos iniciar um ciclo novo na floresta”

Artigos relacionados

Nacional

7ª edição do Concurso Universitário & Politécnico CAP – Cultiva o teu futuro

O Concurso Universitário & Politécnico CAP – Cultiva o teu futuro é um concurso criado pela Confederação dos Agricultores de Portugal com o objetivo de estimular a criatividade e inovação dos estudantes universitários sobre temas específicos. […]

Últimas

Aldeia transmontana quer fazer dos espargos selvagens atracção gastronómica


Aldeia transmontana quer fazer dos espargos selvagens atracção gastronómica
Os espargos selvagens abundam na zona do fértil Vale da Vilariça, […]

Nacional

Governo considera que apoio de 2,5 milhões aos produtores do Douro “não tem condições para ser renovado”

O representante dos produtores, António Lencastre, diz que “se trata de um apoio de 2,5 milhões de euros, não seria mais do que devolver à região uma parte das taxas […]