OrangeBee vence Ecotrophelia Portugal 2020

OrangeBee vence Ecotrophelia Portugal 2020

“OrangeBee”, um preparado fermentado de aquafaba com geleia de laranja e polvilhado com pólen apícola, foi o produto vencedor da quarta edição do concurso Ecotrophelia Portugal, promovido pela PortugalFoods. Este produto foi desenvolvido por duas alunas da Universidade de Aveiro e vai representar Portugal, em Outubro, na final europeia deste concurso.

O segundo lugar foi atribuído ao “Rice ‘n’ Nice”, pastel de bacalhau ultracongelado, sem batata, com couve-flor e subprodutos da indústria arrozeira, desenvolvido por alunos da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Em terceiro lugar ficou o “FermentiVe”, conserva de tomate verde rejeitado pela indústria e outros vegetais fermentados, desenvolvido por estudantes do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa e da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa – que venceu também a galardão “Born from Knowledge”, atribuída pela Agência Nacional de Inovação (ANI).

 

O vencedor do concurso Ecotrophelia Portugal – «que promove a eco-inovação, o empreendedorismo e a competitividade no sector agroalimentar, desafiando estudantes do ensino superior a desenvolverem produtos alimentares inovadores e sustentáveis» – foi anunciado numa cerimónia a 3 de Setembro, no Porto, transmitida online em directo no canal de Youtube da PortugalFoods. Nesta edição, participaram 63 estudantes de 14 instituições do ensino superior nacionais, reunidos em 16 equipas, tendo sido seleccionados 10 produtos finalistas.

O júri do concurso foi composto por diversas personalidades do sector agroalimentar, que efectuaram a escolha com base em critérios como «inovação de produto, sustentabilidade, embalagem, propriedades organolépticas e credibilidade de mercado». O OrangeBee foi galardoado «por ser um excelente exemplo de ecoinovação, ao reutilizar resíduos habitualmente desprezados na elaboração de um produto (“sobremesa”) apelativo e saboroso, muito bem conceptualizado na sua génese e em termos de marketing, aproveitando a complementaridade da formação das suas autoras, a frequentarem mestrados em biotecnologia alimentar e design», refere Vergílio Folhadela, presidente do Júri. Aquafaba é  o líquido da cozedura do grão-de-bico ou de outras leguminosas, que pode ser utilizado como alternativa à clara de ovo.

Ao primeiro classificado foi atribuído um prémio monetário no valor de 2.000 euros e cerca de 7.000 euros em serviços de consultoria: da Ivity Brand Corp – que proporcionará o serviço de consultoria nas áreas da comunicação e design –, da Market Access – na vertente de internacionalização – e da Patentree – que tratará da propriedade intelectual relativa ao produto. O segundo classificado recebeu um prémio no valor de 1.000 euros e o terceiro classificado obteve um prémio de 500 euros.

O artigo foi publicado originalmente em Revista Frutas Legumes e Flores.

Comente este artigo
Anterior Procura por artigos de agricultura aumenta 42% em abril face aos primeiros meses do ano
Próximo DRAP Alentejo | Newsletter 3 | 2020

Artigos relacionados

Últimas

Dois anos depois, o regresso às casas vai normalizando a vida das famílias

Trabalhos de limpeza na zona da Ribeira de Alge, queimada pelo fogo, dois anos depois do incêndio

A vida de Rosalina Rosa, […]

Últimas

“Beja Merece Mais” leva reivindicações a Bruxelas. “Esta é a nossa última esperança”

O movimento cívico “Beja Merece Mais” esteve em Bruxelas para levar as suas reivindicações às instituições da União Europeia em quem deposita agora a “última esperança” […]

Sugeridas

Indústria agro-alimentar com quebras de 50% nas exportações

O encerramento dos hotéis e restaurantes, “tem impactos brutais nas vendas” da indústria agro-alimentar portuguesa. […]