O papel do Portugal 2020 na promoção da competitividade nacional

O papel do Portugal 2020 na promoção da competitividade nacional

Portugal 2020 tem vindo a demarcar-se dos anteriores quadros comunitários ao privilegiar a concretização efectiva de resultados ao nível da criação de emprego, volume de negócios e VAB das empresas.

Reforçar a competitividade da economia portuguesa e a presença no mercado internacional são os principais desafios do Portugal 2020, nomeadamente do Fundo da Política de Coesão.

O maior enfoque na investigação e desenvolvimento (I&D), bem como na inovação e na internacionalização constitui, indubitavelmente, o vector impulsionador do crescimento sustentável das empresas, potenciador do efeito arrastamento em toda a economia nacional.

Perspectivando-se que Portugal convirja com as economias mais avançadas da União Europeia, uma parte significativa dos 26 mil milhões de euros de fundos comunitários atribuídos a Portugal no âmbito do Portugal 2020 destinam-se às empresas que pretendam realizar projectos nos vários sectores da economia (já que o actual programa não excluí qualquer sector de actividade), privilegiando as actividades que incidam sobre bens e serviços transaccionáveis e internacionalizáveis.

Assim, as prioridades no Portugal 2020 estão centradas em projectos que promovam a I&D, a inovação (essencialmente no estímulo à criação de novos produtos e/ou novos processos produtivos tecnologicamente avançados), o desenvolvimento regional e a internacionalização e qualificação de PME.

O Portugal 2020 tem vindo a demarcar-se dos anteriores quadros comunitários de apoio ao privilegiar a concretização efectiva de resultados ao nível da criação de emprego, volume de negócios e valor acrescentado bruto das empresas, com impactos positivos ao nível da competitividade nacional e regional (por comparação com os projectados em candidatura). Os apoios concedidos aos promotores são, assim, determinantes para a decisão de realização dos projectos e para a geração de externalidades positivas na economia regional e nacional.

Ideias chave do Fundo da Política de Coesão

  • A decisão de atribuição de apoios depende, essencialmente, (i) de métricas de rentabilidade, (ii) das externalidades geradas na economia (regional e nacional) e ainda da (iii) cooperação com outras entidades, designadamente, entidades pertencentes ao Sistema Científico e Tecnológico Nacional;
  • As taxas máximas de incentivo dependem, genericamente, da natureza do projecto a desenvolver, da dimensão da empresa e da região de localização do investimento, mais elevadas em projectos a realizar por PME e a localizar fora da região de Lisboa;
  • Aos projectos de I&D é atribuído um incentivo não reembolsável de base até determinado limite de investimento, premiando a investigação industrial, as PME e a cooperação entre empresas ou entidades de I&D;
  • Os projectos desenvolvidos por PME ao nível da Qualificação e da Internacionalização aproveitam da atribuição de uma taxa de incentivo não reembolsável de 45%;
  • Aos projectos de inovação produtiva é atribuído um incentivo reembolsável (empréstimo sem juros), convertível parcialmente em incentivo não reembolsável até 45% (a partir de 2017) no caso de superação dos objectivos definidos em candidatura (taxas de incentivo crescentes em função de escalões de performance);
  • Prazos para apresentação de candidaturas em 2017: já estão disponíveis os planos de Avisos de abertura de candidaturas no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 e do Programa Operacional Mar 2020. No que respeita aos Fundos da Política de Coesão, abriram já alguns concursos, estando para breve a publicação do plano anual de Avisos com a calendarização de todos os concursos a vigorar no ano de 2017.

Números chave do Portugal 2020 (2014-2016)

  • Cerca de 1200 concursos abertos;
  • Mais de 320 mil candidaturas apresentadas, correspondentes a um investimento de cerca de 35 mil milhões de euros;
  • Mais de 280 mil operações aprovadas;
  • 12 mil milhões de euros ainda não colocados a concurso (dos 26 mil milhões de euros de dotação global do Portugal 2020).

Associate Patner da KPMG

Comente este artigo
Anterior Acção informativa ensina como certificar, instalar e manter povoamentos de eucalipto - 31 de Março 2017 - Santiago do Cacém
Próximo Criação da Rede Alentejo AGROnet: Alentejo Agricultural Research and Extension Network

Artigos relacionados

Últimas

Organizações de Agricultores das Regiões Ultraperiféricas reagem em conjunto a favor da manutenção do orçamento POSEI

Foi com expetativa que as organizações de agricultores das Região Ultraperiféricas (RUP) aguardaram os resultados da reunião do Conselho Agricultura do passado dia 21 de Setembro, […]

Nacional

Cortiça quer assegurar futuro da indústria

Indústria está a aplicar um conjunto de medidas para evitar a propagação da Covid-19, como quarentenas voluntárias para quem regressou do […]

Últimas

IRC na Madeira em 2020 será de 11,9%. Dívida deverá descer para 75% do PIB

O vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, disse esta quinta-feira que a taxa de IRC na Madeira para os primeiros 25 mil euros de matéria coletável será […]