Criação da Rede Alentejo AGROnet: Alentejo Agricultural Research and Extension Network

Criação da Rede Alentejo AGROnet: Alentejo Agricultural Research and Extension Network

Tendo em consideração a complementaridade entre o trabalho em curso no ICAAM e aquele que se encontra planeado para a rede de experimentação agrária e animal em implementação entre o INIAV, I. P., e as escolas agrárias politécnicas, foi criada a rede “Alentejo AGROnet: Alentejo Agricultural Research and Extension Network”

Caracteristicas da Rede:

1 — Pretende ser uma rede de cooperação científica e tecnológica para a experimentação agrícola no Alentejo,

2 — É constituída pela Universidade de Évora e pelo Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I. P. (INIAV, I. P.), representado através da sua delegação em Elvas.

3 — É vocacionada para a prossecução do objetivo comum aos seus membros, não estabelecendo qualquer limitação à identidade e à autonomia de cada uma das partes.

4 — Não está dotada de personalidade jurídica.

5 — Tem sede no Instituto de Ciências Agrárias e Mediterrânicas da Universidade de Évora, situado no Polo da Mitra desta Universidade.

6 — Deve promover a experimentação e investigação agrícola na região do Alentejo em estreita articulação com a “Rede Nacional de Experimentação e Investigação Agrária e Animal, Rexia2”.

7 — A Rede deve inventariar os recursos existentes, identificar lacunas e oportunidades de desenvolvimento científico e tecnológico, incluindo a utilização de parcelas experimentais de longa duração, propor soluções e coordenar o seu uso em rede, bem como estimular ações para a produção, difusão e transmissão do conhecimento, com o objetivo de aumentar a sustentabilidade (económica, ambiental, social e institucional) do sector na região Alentejo.

8 — Considerando as características específicas da região Alentejo, a Rede deve orientar, prioritariamente, a sua atividade para os seguintes sectores e sistemas de produção:

  • Montado, incluindo produção de cortiça, pecuária extensiva e culturas anuais de sequeiro;
  • Olival e azeite;
  • Vinha e vinho;
  • Culturas de regadio;
  • Transmissão de conhecimento
Comente este artigo
Anterior O papel do Portugal 2020 na promoção da competitividade nacional
Próximo Estratégia: 130 milhões para a agricultura biológica

Artigos relacionados

Últimas

Resta menos de 10% da água na barragem Monte da Rocha, em Ourique

[Fonte: Tribuna Alentejo] A Barragem do Monte da Rocha em Ourique está a levantar uma grande preocupação entre autarcas e sobretudo agricultores já que esta é de utilização predominantemente agrícola, […]

Nacional

Ministério da Agricultura tudo fará para que parceria com a Confagri continue a ser de sucesso

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Albuquerque, participou, ontem, no encontro Nacional dos Técnicos da CONFAGRI (Confederação […]