O desordenamento do território – Joana Petiz

O desordenamento do território – Joana Petiz

Quatro anos passados sobre a tragédia de Pedrógão, muito pouco mudou. Obrigou-se uns desgraçados a cortar as árvores de fruto que lhes davam algum alento, outros a criar carreiros e arrancar oliveiras que há décadas se colavam às casas, ironicamente, protegendo-as, e ficámos todos muito contentes com o resultado, conseguido à custa de ameaças de multas e expropriações inconcebíveis.

Num país em que a maioria da área de floresta e mato não tem dono identificado, foi-se atrás de quem já fazia o que sabia necessário para proteger os seus bens, tantas vezes escassos. Apontou-se o dedo ao vil capital que vive dos eucaliptos – os mesmos que quem estuda os riscos garante que fazem uma gestão florestal verdadeira e segura que quem dera fosse replicada. Deixou-se o fumo da resposta fácil toldar a razão de uma ação concertada e adequada, capaz de evitar que aquele inferno volte a acontecer.

São especialistas em florestas que deixam hoje o alerta de que há fortes probabilidades de que

Continue a ler este artigo no Diário de Notícias.

Comente este artigo
Anterior Especialistas alertam: tragédia de Pedrógão pode repetir-se em breve noutras zonas do país
Próximo Incêndios: Governo lança projeto do cadastro na região de Viseu Dão Lafões com 14 balcões

Artigos relacionados

Cotações PT

Cotações – Bovinos – Informação Semanal – 4 a 10 Maio 2020

Nesta semana as cotações médias nacionais de novilhos (cruzado de Charolês e Turina) desceram 0,20 €/kg P. Carcaça e as de novilha cruzada de […]

Comunicados

As primeiras uvas Dona Uva já estão a chegar aos consumidores

As primeiras uvas Dona Uva já estão a começar a ser colhidas nas regiões do Oeste e do Ribatejo e, em breve, vão chegar à mesa dos portugueses. A Frutalmente, […]

Cotações ES

Se consolidan las subidas en los precios del vacuno

Semana de subidas generalizadas en las cotizaciones de las canales de vacuno, aunque más amplias en las de los machos que en las hembras, pero con aumentos en la casi totalidad de lonjas y mercados nacionales. […]