Nuno Russo faz lançamento oficial do programa nacional contra a praga Trioza erytreae

Nuno Russo faz lançamento oficial do programa nacional contra a praga Trioza erytreae

O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participa, esta sexta-feira, dia 21 de Agosto, no lançamento do programa nacional contra a praga Trioza erytreae, em Coimbra.

Relembre-se que o programa experimental de luta biológica contra a praga de quarentena Trioza erytreae, com largadas experimentais de um insecto parasitoide específico, arrancou no final de Novembro de 2020.

O Trioza erytreae, além de provocar estragos directos consideráveis nos citrinos, é vector da doença, considerada como a mais grave a nível mundial para estas espécies vegetais, denominada Huanglongbing (Citrus greening ou psila dos citrinos) causada pela bactéria Candidatus liberibacter. Ainda não está presente no território europeu, mas o Governo pretende evitar a sua entrada.

Neste contexto, Nuno Russo estará amanhã a acompanhar, a partir das 15 horas, uma largada do insecto parasitóide Tamarixia dryi para controlo biológico da Trioza erytreae, na Quinta das Canas, Lages, Coimbra.

O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural segue depois para Almeirim, onde estará presente na inauguração das instalações da Borrego Leonor e Irmão.

A praga

A Trioza erytreae, ou psila africana dos citrinos, é um insecto considerado de quarentena para os citrinos e outros hospedeiros, provocando estragos muito graves. A sua presença no espaço da União Europeia era até agora conhecida apenas na Ilha da Madeira e Canárias.

Este insecto, para além de provocar estragos directos, pode veicular uma doença muito grave dos citrinos denominada Huanglongbing (ou Citrus greening) causada por uma bactéria muito destrutiva Candidatus Liberibacter africanus.

No Grande Porto desde 2015

Em Dezembro de 2014, Espanha notificou a primeira detecção desta praga no seu território continental, na zona da Galiza, ocorrendo vários focos na zona de Pontevedra. Na sequência da notificação daqueles focos e dada a sua proximidade com o Norte de Portugal, foi levada a cabo uma vigilância suplementar particularmente dirigida àquela região, tendo sido detectada a presença deste insecto em citrinos isolados em jardins particulares na área do Grande Porto em Janeiro de 2015.

Mais Informação sobre Trioza erytreae aqui.

Agricultura e Mar Actual

O artigo foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Comente este artigo
Anterior AgroIN 2020: Eficienciocultura - 1 de outubro - Lisboa
Próximo Governo defende produtos nacionais perante criação de presunto ibérico americano

Artigos relacionados

Últimas

Castelo Branco aumenta rega inteligente pioneira

A Câmara Municipal de Castelo Branco alargou esta terça-feira, o sistema pioneiro de rega inteligente da cidade em 55 rotundas, 12 separadores e 8 espaços verdes numa parceria com a startup Allbesmart. […]

Notícias florestas

“Fez-se o que se pôde, com os meios que havia”. Quatro anos depois, começou o julgamento do incêndio de Pedrógão

A verdade sobre os trágicos acontecimentos de 2017 continua por descobrir. Sobram criticas ao Estado e à falta de fiscalização da floresta e dos planos de defesa contra incêndios. […]

Últimas

Governo dos Açores aprova decreto que altera regime da cessação da atividade agrícola

Com esta alteração, adiantou aos jornalistas o secretário regional para os Assuntos Parlamentares, Berto Messias, “são reforçados os objetivos da cessação de atividade agrícola”, […]