AgroIN 2020: Eficienciocultura – 1 de outubro – Lisboa

AgroIN 2020: Eficienciocultura – 1 de outubro – Lisboa

A Eficienciocultura veio para ficar!

Culturas há muitas e modos de produção também. Mas há uma que assume transversalidade e é decisiva para todos os empresários, técnicos e gestores agrícolas: a cultura da Eficiência.

A equação parece simples: usar menos recursos e conseguir mais e melhor produção. Mas a prática traz desafios que importa discutir e partilhar.

Porque mais Gestão é igual a maior Rentabilidade. E é a Rentabilidade que permite produzir com Sustentabilidade, investir em inovação e catapultar os agronegócios. Está lançada a sementeira da Eficiêncio-cultura! Vamos fazê-la crescer em mais uma edição do AgroIN.

Marque já na agenda o dia 01 outubro, no Auditório da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa.

→ Inscrição ←

Programa

09H20 Boas-vindas

09h30 PEGADA DE CARBONO: UMA MÉTRICA DE COMPETITIVIDADE?
Num momento em que as alterações climáticas ocupam um lugar de destaque, até há pouco insuspeitado, na agenda política e social, a pegada de carbono entrou definitivamente na linguagem dos negócios. A agricultura, florestas e outros usos do solo são responsáveis por 25% das emissões globais de gases com efeito de estufa, tornando o setor numa peça-chave para a descarbonização da economia. Mas, de que falamos quando falamos de pegada de carbono?
◉ Que atividades e fontes de emissão estão incluídas e que metodologias existem para a sua quantificação?
◉ Como é reconhecida e contabilizada a remoção de carbono em biomassa e solos?
◉ A pegada de carbono é um meio para uma operação mais eficiente ou é um fim em si?
◉ Os mercados exigem ou mesmo valorizam a comunicação da intensidade carbónica dos produtos agrícolas?
Maria João Gaspar, consultora em sustentabilidade

9h55 CALCULAR A PEGADA DE CARBONO NA PRÁTICA: exemplos nos bovinos de leite e de carne
Ricardo Teixeira, Instituto Superior Técnico

10h20 SUSTENTABILIDADE E MERCADO
Indústria e distribuição. Estão estes elos da fileira alinhados com os produtores na valorização de práticas mais sustentáveis?
◉ A produção está a ser remunerada pelo investimento em alimentos mais ecológicos?
◉ Estas práticas estão a ser comunicadas e utilizadas como ferramenta de marketing?
◉ O consumidor perceciona este valor e está disposto a pagar mais?
Pedro Pimentel, Centromarca
Pedro Queiroz, FIPA

11h00  Pausa para café ☕️

11h30 CLIMATE SMART AGRICULTURE: MUITO OU NADA DE NOVO?
Intensificação sustentável. Agricultura de conservação. Agroecologia. Climate smart agriculture, dizem. Perdidos nas definições? Aumentar a produtividade e o rendimento, tornar os agricultores mais resilientes às alterações climáticas e reduzir as emissões associadas à produção de alimentos é o desafio. Chegar lá é um caminho desafiante que implica essencialmente gerir com um novo foco. Agrofloresta, gestão da água, solo e energia, gestão fitossanitária, gestão de culturas, tecnologia.
◉ Onde estão os melhores exemplos de utilização da tecnologia neste contexto?
◉ Quais são os desafios na luta contra pragas e doenças?
◉ Quem está a usar a diversificação cultural e novas culturas com sucesso?
◉ Quem está a investir em sistemas agroflorestais?
◉ É possível melhorar a eficiência na utilização de fatores de produção?
◉ Ainda estamos longe da eficiência energética?
Maria do Carmo Martins, COTHN
Lino Oliveira, INESC TEC

12h30 Prémios VIDA RURAL 

13h00  Almoço networking 🍴

14h30 A ÁGUA VAI CONTINUAR A REVOLUCIONAR AS OPÇÕES CULTURAIS?
São empresários e gestores e as suas explorações agrícolas mudaram radicalmente na última década. Com a chegada da água de Alqueva um novo leque de possibilidades se abriu e com ele a viabilização de uma enorme área condenada a baixas produtividades e rentabilidades. Mas está tudo feito em Alqueva?
◉ Onde está o potencial para continuar a crescer?
◉ Que novas culturas podem surgir?
◉ Quais os desafios ambientais?
◉ Como ultrapassar o desafio da mão-de-obra?

16h00 O RESGATE DO SOLO É O DESAFIO DA PRÓXIMA DÉCADA?
O que se passa no subsolo passou a ser tão ou mais importante do que aquilo que acontece à superfície. Um sistema complexo e dinâmico que importa conhecer em profundidade e que é decisivo para o sucesso das culturas. Dizem os especialistas quem em cada grama de terra existem mais de 10.000 espécies microorganismos. O que sabemos sobre isto?
◉ É preciso rever os métodos de conservação do solo?
◉ Fungos, bactérias e vírus: como podem ajudar as plantas?
◉ Qual o papel das micorrizas?
◉ Como podem influenciar os modelos de produção atuais?
◉ As soluções nesta área estão desenvolvidas?
◉ Há resultados da aplicação destas técnicas?
Moderação: João Coimbra
Isabel Brito, Universidade de Évora
Francisca Ramos, Sociedade Agrícola S. João de Brito

17h30 Encerramento

Oradores

Isabel Brito
Universidade de Évora

Maria João Gaspar
Consultora em sustentabilidade

Pedro Queiroz
FIPA

Isabel Martins
Vida Rural

Lino Oliveira
INESC TEC

Pedro Pimentel
Centromarca

João Coimbra
Quinta da Cholda

Catarina Pinto Correia
Vieira de Almeida

Comente este artigo
Anterior Marcas “Porto”, “Port” e "Douro” protegidos no Reino Unido após 'Brexit'
Próximo Nuno Russo faz lançamento oficial do programa nacional contra a praga Trioza erytreae

Artigos relacionados

Últimas

Brasil suspende exportação de carne bovina para a China após caso de “vacas loucas”

O Ministério da Agricultura brasileiro informou na segunda-feira a suspensão de exportações de carne bovina para a China, devido a um caso da doença de “vacas loucas” […]

Últimas

XXVI Concurso de Méis da Região de Moura. Entrega de amostras até 6 de Agosto

A Câmara Municipal de Moura, presidida por Álvaro Azedo, informa que até 6 de Agosto de 2019 encontra-se a decorrer o prazo para entrega das amostras de mel a concurso no XXVI Concurso de Méis da Região de Moura. […]

Nacional

Amorim inaugura em abril nova fábrica na Austrália e abre unidade no Chile em 2021

Corticeira tenciona inaugurar em abril fábrica em Adelaide, na Austrália e vai abrir uma nova unidade no Chile, no próximo ano, com um grupo local. […]