Nuno Russo: “É preciso preservar a genuinidade dos produtos tradicionais e apoiar a dinamização dos mercados locais”

Nuno Russo: “É preciso preservar a genuinidade dos produtos tradicionais e apoiar a dinamização dos mercados locais”

O Secretário de Estado da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, marcou presença na 43ª Feira do Queijo da Serra da Estrela, em Seia. Durante a sessão de abertura, Nuno Russo começou por elogiar o Queijo da Serra da Estrela, que é hoje uma prova de qualidade e da genuidade do que produzimos valorizando os produtos de excelência que contam a nossa história”.

“Todos os intervenientes no processo de produção saem merecidamente valorizados, mas saem também valorizadas todas as pessoas que dão a vida a esta região, e todos os outros setores de atividade que, de forma direta ou indireta, estão ligados ao Queijo da Serra. Sai valorizado o país que reforça a sua identidade, conserva a sua história e controi um futuro alicerçado nos seus preciosos produtos endógenos.”, afirmou Nuno Russo.

Para o Secretário de Estado “a produção de leite de ovino/caprino tem vindo a ganhar maior expressão em Portugal. A obrigatoriedade da indicação da rotulagem da origem do leite e do leite usado como ingrediente em produtos lácteos (incluindo o queijo) vai ao encontro das preocupações dos produtores DOP e é um passo concreto para uma informação mais transparente ao consumidor, para o combate à concorrência desleal e para a valorização da produção nacional”.

É, por isso, necessário preservar “a genuinidade dos produtos tradicionais e apoiar a dinamização dos mercados locais, em prol da manutenção dos sistemas de produção assentes na valorização dos recursos endógenos”, continuou o membro do Governo, adiantando que isto “permitirá a fixação de populações ativas e o rejuvenescimento das regiões, fomentando o empreendedorismo local e o crescimento do setor, com contributos inegáveis para um mais elevado nível de sustentabilidade, para uma resposta aos efeitos das alterações climáticas e para a preservação dos recursos e do nosso património natural”.

Comente este artigo
Anterior Moçambique. Um seguro de sementes disponível por telemóvel protege os agricultores
Próximo Batida à raposa em Quiaios. Nem os caçadores caçaram, nem os manifestantes protestaram

Artigos relacionados

Nacional

Imigração para Portugal já cresceu 18% em 2019 (e ainda vai aumentar)

Até ao dia 31 de outubro foram concedidas 110.813 novas autorizações de residência (AR) a cidadãos estrangeiros em Portugal, quase mais 17 mil do que em todo o ano de 2018 (93.154), […]

Fitotema

“A digitalização da agricultura é essencial para a competitividade e sustentabilidade”

A última edição da Web Summit 2019 ficou marcada pela visita da Ministra da Agricultura a três startups ligadas ao sector, […]

Sugeridas

Câmara de Braga já destruiu 110 ninhos definitivos de vespa velutina em 2019

O município de Braga tem registado um aumento no número de ninhos de vespa velutina, também conhecida por vespa asiática, […]