“Não há uma cultura enraizada de preferir o que é nosso”

“Não há uma cultura enraizada de preferir o que é nosso”

[Fonte: Voz do Campo]

Patrícia Duarte, Associação Portuguesa de Kiwicultores

O consumidor nacional, de forma geral, sabe que o que se faz cá faz-se bem, mas ainda não há uma cultura enraizada de preferir o que é nosso, como se verifica noutros países, como por exemplo em França. Para além disso pensamos que falta ainda trabalhar melhor o mercado nacional porque o kiwi ainda não entrou completamente nos lares portugueses. Mas a qualidade está cá. A prová-lo está um estudo promovido por nós em parceria com a Universidade Católica no âmbito do Projeto SIAC Internacionalização “Kiwis de Portugal”. Foi criado um painel de provadores, com várias provas cegas e em todas elas o nosso kiwi foi o mais apreciado.

Comente este artigo

O artigo “Não há uma cultura enraizada de preferir o que é nosso” foi publicado originalmente em Voz do Campo.

Anterior “Todas as indústrias do setor agroalimentar desperdiçam energia, principalmente térmica e elétrica”
Próximo “A Feira Nacional de Agricultura é a grande montra do setor agrícola nacional”

Artigos relacionados

Últimas

Maria da Graça Carvalho: “Há um enorme potencial para a biomassa em Portugal”

[Fonte: O Jornal Económico]

Lisboa recebeu 1.500 delegados de 70 países este mês para debaterem a importância da biomassa no combate às alterações climáticas no mundo. “A biomassa e os resíduos representaram cerca de dois terços de todo o consumo de energias renováveis na União Europeia”, […]

Eventos

CNESA – Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias – 14 e 15 de novembro – Viseu

[Fonte: Voz do Campo]
A cidade de Viseu, Portugal, vai acolher nos próximos dias 14 e 15 de Novembro de 2019, CNESA – Congresso Nacional das Escolas Superiores Agrárias
Após o enorme sucesso dos Congressos anteriores realizados em Bragança e em Elvas, […]

Nacional

Metade dos fogos registados até 15 de Julho tiveram origem em queimadas e queimas

[Fonte: Público]

Cerca de metade dos incêndios florestais que deflagraram até 15 de Julho e investigados tiveram origem em queimadas e queimas, revelou o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). O segundo relatório provisório de incêndios rurais do ICNF deste ano, […]