“Não há setor na economia mais ‘verde’” que o da madeira – presidente AIMMP

“Não há setor na economia mais ‘verde’” que o da madeira – presidente AIMMP

O presidente da Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário de Portugal (AIMMP) considera que “não há setor na economia mais ‘verde’” do que o da madeira e mobiliário, que vai estar “na linha da frente” da transição climática.

“Não há setor na economia que seja mais ‘verde’, mais amigo do ambiente, mais ecológico, do que este setor, porque este setor trabalha uma matéria-prima renovável, sustentável e, ainda por cima, produz produtos que têm uma série de Rs: renascer, reconverter, reciclar, recuperar, reutilizar”, afirmou Vítor Poças, em entrevista à Lusa, no Dubai.

O responsável considerou que o setor da madeira é “muito importante” e vai estar “na linha da frente” da transição climática.

“[O setor] pode, realmente, aproveitar um produto sustentável na natureza, pode produzir um produto, quer a partir de matéria-prima virgem, quer a partir de matéria-prima reciclada, esse produto pode ir para o mercado, exercer a função para o qual foi criado e, no final, ser outra vez recuperado, reciclado e ser transformado num novo produto”, apontou o presidente da AIMMP.

Por outro lado, Vítor Poças destacou a questão do sequestro de carbono, crucial para atingir a meta nacional de neutralidade carbónica em 2050.

“As pessoas não se dão conta que quando estão a comprar um móvel, estão a armazenar carbono, quando fazem uma casa com mais madeira do que betão, estão a armazenar carbono, quando usam uma palete em madeira – aquela palete que em média dura 10 anos – durante 10 anos vão andar a armazenar carbono”, sublinhou o responsável, lembrando que 65% dos bens consumidos pela população viaja em paletes de madeira.

“Nós fechamos o ciclo, porque o ‘renascer’ é a arvore que é cortada e voltada a plantar, depois é fabricado o móvel, ou a peça, que pode ser reutilizado ou pode ser recuperado. É possível recolhê-lo e reciclá-lo, transformá-lo num outro”, salientou Vítor Poças.

A AIMMP encontra-se atualmente numa missão empresarial no Dubai, entre 30 de maio e 03 de junho, na qual participam 25 empresas portuguesas do setor, para apresentarem os seus produtos naquele “importante mercado dos Emirados Árabes Unidos”.

O programa da missão inclui diversos eventos de promoção do setor, nomeadamente a participação na mostra The Hotel Show Dubai que, em articulação com a AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, que criou a marca Made in Portugal naturally, irá apresentar o projeto Associative Design – The Best of Portugal, financiado em 85% pela agência.

A AIMMP é uma associação empresarial fundada em 1957, sem fins lucrativos de interesse público, com a missão de representar, defender, apoiar e promover a Indústria Portuguesa da Madeira e do Mobiliário, nomeadamente promover a internacionalização do setor.

*** a Lusa viajou para o Dubai a convite da AIMMP ***

Matéria-prima é “problema forte” para indústria da madeira devido aos incêndios – AIMMP

Exportações de madeira e mobiliário para fora da Europa crescem 24% em 2020

Comente este artigo
Anterior Exportações de madeira e mobiliário para fora da Europa crescem 24% em 2020
Próximo Matéria-prima é “problema forte” para indústria da madeira devido aos incêndios - AIMMP

Artigos relacionados

LIVE

Live: Sessão de apresentação do projeto conjunto de internacionalização Portuguese Meat

A Federação Nacional das Associações de Raças Autóctones (FERA), irá realizar no próximo dia 24 de maio de 2021, pelas 11h00, uma sessão de apresentação do projeto conjunto de […]

Nacional

Dia aberto do grupo operacional Macfertiqual

Realiza-se a 10 de Julho o “Dia Aberto do Grupo Operacional Macfertiqual”, no Pomar da Várzea, em Acipreste (Alcobaça). Este projecto é […]

Sugeridas

PCP acusa Costa de “retrocesso e erro histórico” por “desmantelar” Ministério da Agricultura

Os dirigentes do PCP acusaram hoje o primeiro-ministro indigitado, António Costa, de cometer “um retrocesso e um erro histórico” ao proceder àquilo que consideram ser o desmantelamento do Ministério da Agricultura dada a nova fórmula do futuro Governo. […]